Avaliação da terapia de suporte na prevenção da disfunção temporomandibular em pacientes tratados com aparelho intra-oral para a síndrome da apneia obstrutiva do sono

Avaliação da terapia de suporte na prevenção da disfunção temporomandibular em pacientes tratados com aparelho intra-oral para a síndrome da apneia obstrutiva do sono

Título alternativo Evaluation of Therapy Support in the prevention of temporomandibular dysfunction in patients treated with intra-oral device for the syndrome of obstructive sleep apnea
Autor Tavares, Camila Diniz Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bittencourt, Lia Rita Azeredo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar, em pacientes com Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS) e sem Disfunção Temporomandibular (DTM) prévia, a eficácia de uma terapia de suporte com exercícios mandibulares na prevenção da dor por DTM durante o uso de aparelho intra-oral AIO. Métodos: 87 pacientes com SAOS inidicados para o uso do AIO foram avaliados pelo instrumento que avalia DTM, o “Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders” (RDC), sendo 45 excluídos por relatarem dor por DTM. Dos 42 restantes, 22 foram selecionados de acordo com os critérios de inclusão, sendo que 19 concluíram o protocolo. Na fase basal, além do RDC, todos os pacientes foram avaliados por meio de questionário de sono (Fletcher & Lucket), Escala de Sonolência de Epworth (ESE) e inventário de qualidade de vida SF-36 e submetidos a polissonografia convencional.Os pacientes receberam seus AIOS na posição de 75% do avanço mandibular máximo e foram aleatoriamente divididos em grupo controle (CTL) e grupo terapia de suporte (TS). Os dois grupos receberam o AIO de forma idêntica, e somente o grupo TS recebeu a orientação de fazer a terapia de suporte com exercícios mandibulares (2 vezes ao dia) Após 120 de início de uso do AIO as avaliações acima foram repetidas. Durante os 120 dias, os pacientes preencheram diários de sono, de uso do AIO e da terapia de suporte para o grupo TS que permitiram avaliar a adesão ao tratamento e a terapia de suporte. A dor foi avaliada por uma escala analógica de dor. Resultados: Dezenove pacientes, 10 no grupo TS (27,3% mulheres) e 9 grupo CTL (25% mulheres) completaram o estudo. A ESE diminui significantemente (11,4 ± 1,7 para 8,4 ± 1,1; p=0,01) no grupo TS, enquanto o grupo CTL não se observou melhora. Em relação aos domínios do inventário de qualidade de vida SF-36, observou-se que o grupo CTL apresentou melhora na capacidade funcional (61,0 ± 13,2% para 72,3 ± 11,7%; p=0,03),o que não foi observado no grupo TS. Entretanto, para o estado geral de saúde, apenas o grupo TS (72,5 ± 5,9% para 81,1 ± 4,0%; p=0,04) apresentou melhora nesse domínio com o tratamento. Em relação ao índice de apnéia e hipopnéia os dois grupos apresentaram melhora, (GTS = 17,3 ± 2,3 para 7,5 ± 1,0; GCTL = 13,5 ± 0,8 para 6,7 ± 1,8; p=0,005) De acordo com o RDC nenhum dos pacientes dos dois grupos desenvolveram dor por DTM no decorrer do estudo e xiv não houve diferença na adesão ao AIO entre os grupos. Conclusão: Pacientes com SAOS sem DTM prévia não desenvolveram essa condição durante o uso do AIO, sendo que a terapia de suporte com exercícios mandibulares não influenciou nesse resultado como também não na adesão ao tratamento. Palavras-chave: desordem temporomandibular, apnéia obstrutiva do sono, prevenção, aparelho intra-oral e terapia de suporte

Objective: The objective of this study was to evaluate, in patients with Obstructive Sleep Apnea Syndrome (OSAS) and without previous Temporomandibular Disorder (TMD), the effectiveness of a supportive therapy with mandibular exercises to prevent pain caused by TMD during the use of oral appliance (OA). Methods: 87 patients with OSAS indicated for the use of IOD were assessed by the TMD assessment instrument, the “Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders” (RDC), being 45 of those excluded for reporting pain caused by TMD. From the 42 remaining ones, 22 were selected according to the inclusion criteria, and 19 concluded the protocol. In the basal phase, besides RDC, all the patients were assessed by means of a sleep disorders questionnaire (Fletcher & Lucket), Epworth Sleepiness Scale (ESS) and Quality of Life Inventory SF-36 and submitted to conventional polissonography. The patients received their OA with position set at 75% of maximum mandiblular protrusion, and were divided at random into control group (CTL) and supportive therapy group (ST). Both groups received the OA in the same way, and only the ST group received orientation on doing the supportive therapy with mandibular exercises (twice a day). After 120 days from the beginning of the use of the IOD, the assessments above were repeated. During the 120 days, the patients wrote sleep, use of the OA and of the supportive therapy diaries for the ST group, what allowed evaluating the compliance to the treatment and supportive therapy. Pain was evaluated by an analog pain scale. Results: Nineteen patients, 11 in the ST group (27.3% women) and 8 in the control group (CTL) (25% women)completed the study. ESS decreased significantly (11.4 ± 1.7 to 8.4 ± 1.1; p=0.01) in the ST group, while in the CTL group there were no improvements. Regarding the quality of life inventory SF-36, the CTL group showed a better functional capacity after the treatment (61.0 ± 13.2% to 72.3 ± 11.7%; p=0,03), what was not observed in the ST group. However, for general health state, only the ST group showed improvements in this area with the treatment. According to the RDC, none of the patients of both groups developed pain caused by TMD in the course of the study and there was no difference in compliance to the OA between the groups. Conclusion: Patients with OSAS without previous TMD did not develop this condition while using the xvi OA, and the supportive therapy with mandibular exercises did not influenced in this result as well as in the treatment compliance. Keywords: temporomandibular disorder, obstructive sleep apnea, prevention, intra-oral device and supportive therapy.
Assunto Apneia do Sono Tipo Obstrutiva
Transtornos da Articulação Temporomandibular
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento FAPESP: 2006/04488-4
Data 2009
Publicado em TAVARES, Camila Diniz. Avaliação da terapia de suporte na prevenção da disfunção temporomandibular em pacientes tratados com aparelho intra-oral para a síndrome da apneia obstrutiva do sono. 2009. 131 p. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 131 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10387

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-10387.pdf
Tamanho: 1.643Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta