Sôbre os trabalhos da campanha de combate à esquistossomose no Estado de São Paulo, Brasil

Sôbre os trabalhos da campanha de combate à esquistossomose no Estado de São Paulo, Brasil

Título alternativo Report of the campaign against schistosomiasis in the State of S. Paulo, Brazil
Autor Ramos, Alberto Da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Piza, José De Toledo Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Campanha de Combate à Esquistossomose
Resumo The data about Schistosomiasis in the São Paulo State, Brazil, shows that the disease is now here at an expansive stage. To conclude by this, are the discorvery of new active foci in counties where it had been found before and its recrudescence very year producing new autochthonous case. The detection, at the beginning, of other active foci, it is very suggestive too. This was obtained by collecting naturally infected planorbids at places where no autochthonous cases was announced up to date. As a picture of the Schistosomiasis incidence in the State, some data are presented. From 1951 until 31st July 1970, 4499 autochthonous cases were recorded distributed at 30 counties. During the period were imported from other Brazilian places.

Foi demonstrado que a esquistossomose está em fase de expansão no Estado de São Paulo, o que vem sendo comprovado através da descoberta de novos focos ativos em municípios onde já havia sido assinalada; da verificação de seu recrudescimento a cada ano pelo registro de novos casos autóctones e, ainda pela observação de focos ativos no início de sua instalação, isto é, captura de planorbídeos naturalmente infectados pelas cercárias do Schistosoma mansoni em localidades onde até o momento não se constatou qualquer caso autóctone da endemia. Foram apresentados informes sobre a incidência da helmintose no Estado de São Paulo: casos autóctones registrados de 1951 até 31 de julho de 1970 - 4.499 distribuídos em 30 municípios; casos importados de outras Unidades da Federação, no período de 1958 a agôsto de 1970, o número registrado é de 7.859. Referem-se também aos trabalhos que vêm sendo executados pela Campanha de Combate à Esquistossomose, destacando-se a política sanitária adotada em relação à parasitose. Informa-se ainda sobre os trabalhos de saneamento ambiental, e o que tem sido realizado em relação ao tratamento dos portadores da infecção. No período de 1969 até julho do corrente ano, foi tratada por moluscicidas uma área de 293.247 m². Quanto aos doentes foram tratados 4.276, pelo Etrenol (Hycanthone).
Assunto Schistosomiasis
Prophilaxy
Endemy
Epidemiology
Schistosoma mansoni
Esquistossomose
Profilaxia
Endemia
Epidemiologia
Schistosoma mansoni
Idioma Português
Data 1971-12-01
Publicado em Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 5, n. 2, p. 263-272, 1971.
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo)
Editor Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 263-272
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101971000200008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-89101971000200008 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/141

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0034-89101971000200008.pdf
Tamanho: 709.6Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta