Infecção pelo citomegalovírus em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS): relações clinico-virológicas e anatomopatológicas

Infecção pelo citomegalovírus em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS): relações clinico-virológicas e anatomopatológicas

Autor Turchi, Marília Dalva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pannuti, Cláudio Sérgio Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Avaliar o padrão do consumo de drogas e o perfil de risco para infecções de transmissão sangüínea ou sexual entre usuários de cocaína. Determinar fatores de risco, estimar a prevalência e a incidência de HIV-1, Identificar os subtipos do HIV-1, entre os usuários soropositivos. Avaliar fatores de risco e estimar a prevalência de infecções pelo vírus da Hepatite C, vírus da Hepatite B, HTLV-I/II e sífilis. Metodologia: Estudo transversal, conduzido em 839 usuários atuais de cocaína, maiores de 17 anos, recrutados em 7 unidades de tratamento para dependência química, na região metropolitana de São Paulo, entre 1997/1998. Informações sócio-demográficas, de comportamento sexual e de perfil de consumo de drogas obtidas através de entrevista estruturada. Pesquisa de anticorpos para HIV; VHC; HTLVI/II; T pallidum e VHB (HbsAg, antiHBc, antiHBs). Estimativa de incidência do HIV-1, através de dupla testagem (Janssen et al., 1998). Contagem de células T CD4 e CD8 através de citometria de fluxo. Subtipagem do HIV-1 através de HMA e seqüência de nucleotídeos. Abordagem tipo caso-controle com análise de regressão logística múltipla (SPSS for win 8.0). Resultados: Predomínio de homens (95,7 por cento), brancos (70,8 por cento), jovens (mediana de 26 anos) com antecedentes freqüentes de detenção (54,0 por cento) e de moradia na rua (24,9 por cento). Diferenças quanto a idade, época de iniciação, freqüência, intensidade, duração do uso e condições socio-econômicas dos usuários, em relação a via de administração. Variáveis indicativas de comportamento sexual não diferiram em relação a via de uso da cocaína. Predomínio de usuários atuais e pesados de crack, sendo o uso de drogas injetáveis, referido por 17,9 por cento dos participantes. Soroprevalências: VHC=14,5 por cento (IC95 por cento 12,3-17,1); VHB (anti-HBc) = 12,5 por cento (IC95 por cento 1O,4-15,0); HIV= 4,9 por cento (IC95 por cento 3,6-6,6); HTLVI/II= 3,1 por cento (IC95 por cento 2,1-4,6) e sífilis = ,3 por cento (IC95 por cento 4,8-8,2. Injetares apresentam quase 26 vezes mais chance de terem 3 ou mais infeções quando o grupo de não injetares foi considerado como referência. Usuários de cocaína soropositivos para um ou mais mercadores das seguintes infecções: VHC, HTLV I/II, VHB (anti-HBc) e sífilis, apresentaram risco estatisticamente maior de estarem coinfectados pelo HIV, mesmo após ajuste, em análise estratificada, pela via de administração da droga (UDIs versus não UDIs), ...(au).
Assunto Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Infecções por Citomegalovirus
Acquired Immunodeficiency Syndrome
Cytomegalovirus Infections
Idioma Português
Data 1988
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1988. 134 p. ilus.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 134 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/14913

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta