Habito alimentar e estado nutricional de pacientes idosos ambulatoriais, pre e pos-diagnostico de doenca pulmonar obstrutiva cronica

Habito alimentar e estado nutricional de pacientes idosos ambulatoriais, pre e pos-diagnostico de doenca pulmonar obstrutiva cronica

Autor Sachs, Anita Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Com o objetivo de caracterizar o estado nutricional e o padrao alimentar de portadores de doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) foram analisados 60 idosos do sexo masculino de diferentes graus de intensidade, acompanhados no Ambulatorio de Pneumologia e no Centro de Reabilitacao Pulmonar da Disciplina de Pneumologia do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina - Lar Escola Sao Francisco, em São Paulo. Na caracterizacao do estado nutricional utilizou-se o indice de massa corporea (IMC) com os pontos de corte recomendados pela Organizacao Mundial de Saúde (OMS) em 1995. Para a obtencao das informacoes do padrao alimentar empregou-se o metodo de frequencia de consumo de alimentos qualitativo e quantitativo para os periodos pre-diagnostico da DPOC e atual, respectivamente. O diagnostico da DPOC era feito por medico a partir do quadro clinico e de testes de funcao pulmonar, incluindo o volume expiratorio forcado no primeiro segundo (VEF1) e a capacidade vital forcada (CVF). Para a classificacao do grau de intensidade da doenca utilizaram-se os pontos de corte da porcentagem prevista para o VEF1, propostos pelo Consenso Brasileiro de Espirometria em 1996. Observou-se maior frequencia de pacientes com DPOC moderada (43,3%). Os resultados mostraram, para os periodos pre e pos-diagnostico da DPOC, respectivamente, 5 e 10% de desnutricao, 78,3 e 60% de eutrofia, e 16,7 e 30% de sobrepeso valores estes nao estatisticamente diferentes entre si. A eutrofia atual foi mais frequente nos pacientes com DPOC moderada e observou-se 35,3% de peso excessivo entre aqueles com DPOC leve e grave. A pratica alimentar no periodo anterior ao diagnostico da DPOC mostrou que as frutas, arroz, pao, feijao, leite, carne de boi, oleo de soja e gorduras animais faziam parte do padrao alimentar. Para o periodo atual, comparando-se ao anterior, verificou-se aumento do numero de pacientes consumindo suco de frutas, arroz, pao, frango, leite e refrigerante, e reducao daqueles fazendo uso diario do feijao, carnes, cafe com acucar, bebidas alcoolicas e gorduras de origem animal. A media de inGestão calorica foi de 2217 kcal e a contribuicao dos macronutrientes para o valor calorico total foi de 14,5% de proteinas, 30,3% de gorduras e 55,2% de carboidratos. Observou-se adequacao de inGestão de calorias, proteina, gordura e carboidrato, alem de associacao significante (p = 0,04) entre intensidade da doenca e adequacao calorica. A maior porcentagem de pacientes com DPOC leve apresentou inGestão excessiva de calorias; os de grau moderado, insuficiente; e os graves, inGestão adequada. Nao se observou inGestão insuficiente de gordura e nem inGestão excessiva de carboidratos nos pacientes dos diferentes graus de intensidade da DPOC. A dieta atualmente utilizada por esse grupo apresenta distribuicao de macronutrientes que esta de acordo com as recomendacoes atuais para portadores de DPOC
Assunto Hábitos Alimentares
Estado Nutricional
Pneumopatias Obstrutivas
Idioma Português
Data 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 90 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 90 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15312

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta