Analise clinica, urodinamica e ultra-sonografica de mulheres continentes e com incontinencia urinaria de esforco, consoante o tempo de pos-menopausa

Analise clinica, urodinamica e ultra-sonografica de mulheres continentes e com incontinencia urinaria de esforco, consoante o tempo de pos-menopausa

Autor Wakavaiachi, Vania Maria Borges Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Estudaram-se 57 pacientes na pos-menopausa, das quais 30 eram continentes e 27 apresentavam incontinencia urinaria de esforco. Foram subdivididas, conforme o tempo de pos-menopausa, em ate 5 anos ou com mais de 5 anos. Todas submeteram-se a anamnese, exames fisico geral e ginecologico, dosagens hormonais (LH e FSH), urina I e urocultura, diario miccional, teste do cotonete, ultrassonografia pelvica e do colo vesical por via subclitoridiana e estudo urodinamico. A comparacao entre os grupos de mulheres continentes e incontinentes, que apresentavam exame fisico semelhante, conforme o tempo de pos-menopausa (ate 5 anos e com mais de 5 anos), nao revelou alteracoes significativas em relacao ao diario miccional, ao teste do cotonete, a posicao e mobilidade do colo vesical ao ultrassom e ao estudo urodinamico. Em especial, os nossos resultados nao demonstraram haver relacao entre o tempo de pos-menopausa e alteracao da pressao de fechamento uretral comparando-se esses dois grupos de mulheres continentes e os dois grupos de mulheres incontinentes. Observamos resultados significantes quando se comparou o grupo de mulheres continentes e incontinentes. A analise do diario miccional revelou aumento no numero de miccoes diurnas nos dois subgrupos de pacientes incontinentes em comparacao as continentes. Quanto ao teste do cotonete houve aumento significante no angulo de variacao da posicao do colo vesical com a bexiga cheia nas mulheres incontinentes com ate 5 anos de menopausa comparativamente as continentes. No que tange a topografia do colo vesical ao ultrassom, as pacientes incontinentes com ate 5 anos de menopausa apresentaram significante aumento na variacao de sua posicao (mobilidade) ao esforco em relacao as continentes. O estudo urodinamico mostrou diminuicao da capacidade vesical do primeiro desejo miccional e do volume urinario a fluxometria nas pacientes incontinentes com ate 5 anos de pos-menopausa, em comparacao as continentes. Observamos, tambem, diminuicao na pressao maxima de fechamento uretral com a bexiga cheia e vazia nas pacientes incontinentes com mais de 5 anos de pos-menopausa, em relacao as continentes
Assunto Urodinâmica
Menopausa
Incontinência Urinária por Estresse
Idioma Português
Data 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 59 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 59 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15419

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta