Heparina do molusco Anomalocardia brasiliana

Heparina do molusco Anomalocardia brasiliana

Autor Santos, Elizeu Antunes dos Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Dietrich, Carl Peter Von Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A. NATUREZA DOS RESIDUOS DE ACIDOS URONICOS DA HEPARINA DE MARISCO A heparina do molusco Anomalocardia brasiliana foi submetida a clivagem desaminativa (por HNO2) e os fragmentos produzidos foram hidrolisados com HCl. Numa outra abordagem, a heparina foi inicialmente N-acetilada e em seguida hidrolisada por acido. As analises mostraram que a heparina do molusco contem um alto teor de acido D-glucuronico (63% do conteudo total de acidos uronicos), em contraste com a heparina de mamifero (pulmao bovino) cujos residuos de acidos uronicos sao constituidos quase exclusivamente de acido L-iduronico. A heparina modificada quimicamente foi tambem submetida a acao de hidrolases do molusco Tagelus gibbus (que liberam acidos uronicos livres) e de liases bacterianas. Os resultados foram consonantes com os da analise dos hidrolisados acidos, confirmando evidencias anteriores do alto conteudo de acido D-glucuronico na heparina de marisco. Alem de ampliar o conhecimento e as aplicacoes das atividades das enzimas de molusco envolvidas na degradacao dos glicosaminoglicanos. B. DISTRIBUICAO DA HEPARINA NOS TECIDOS DO MARISCO E CORRELACAO COM oMASTOCITOSo. Glicosaminoglicanos isolados de manto, branquia, palpo labial, massa visceral, pe e secrecao mucosa do molusco Anomalocardia brasiliana foram caracterizados por eletroforese e degradacao enzimatica. Os resultados mostraram que todos os orgaos, com excecao do pe e da secrecao, apresentam heparina como o principal glicosaminoglicano. No pe e na secrecao predominam compostos metacromaticos com natureza diversa dos glicosaminoglicanos conhecidos. Atividade anticoagulante e teor de histamina total foram determinados nas amostras de pe, manto, visceras e branquia, revelando uma boa correlacao entre esses parametros e o conteudo de heparina nestes orgaos. Analise histologica do intestino, branquia, palpo e manto evidenciou a presenca de celulas no epitelio com caracteristicas basofilas em pH acido e que se coram metacromaticamente pelo azul de toluidina. Granulos metacromaticos semelhantes aqueles de mastocitos de vertebrados foram, tambem, evidentes nessas celulas. As celulas metacromaticas encontradas no pe correspondem a glandula pedal e apresentam algumas caracteristicas de coloracao e localizacao distintas daquelas observadas nos outros orgaos. Metodologia enzimatica e quimica in situ permitiram, ainda, corroborar a presenca de heparina no intestino. Assim, todos os dados foram consensuais em mostrar a presenca de celulas contendo heparina no manto, branquia, palpo e intestino do marisco, revelando semelhancas da correlacao entre a distribuicao de heparina e omastocitoso em moluscos e vertebrados
Assunto Heparina
Glicosaminoglicanas
Moluscos
Mastócitos
Idioma Português
Data 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 111 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15467

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta