Deteccao de mutacoes no gene N-RAS em criancas com leucemia linfoblastica aguda diagnosticadas pelo grupo mineiro de tratamento das leucemias agudas (GMTLA)

Deteccao de mutacoes no gene N-RAS em criancas com leucemia linfoblastica aguda diagnosticadas pelo grupo mineiro de tratamento das leucemias agudas (GMTLA)

Autor Clementino, Nelma Cristina Diogo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Mutacoes de ponto nos codons 12, 13 e 61 do proto-oncogene N-ras foram detectadas em varias neoplasias humanas. Para determinar a incidencia e o significado prognostico das mutacoes do gene N-ras em LLA de crianca, estudamos 170 pacientes com LLA tratados entre 1988 e 1994 pelo protocolo GMTLA, com acompanhamento minimo de tres anos. A presenca de mutacoes de ponto nos codon 12 e 13 foi estudada no DNA extraido de esfregacos de medula ao diagnostico, usando a amplificacao in vitro pela reacao em cadeia da polimerase (PCR), analise do polimorfismo de conformacao em helice simples (SSCP) seguidas pela hibridizacao com sondas alelo especificas e clonagem em vetor pMOS Blue T com posterior sequenciamento. Em 101 criancas o DNA extraido dos esfregacos foi tambem estudado para o exon 2 pela PCR, analisados pelo SSCP e o fragmento sequenciado apos clonagem em vetor. Os resultados mostraram uma frequencia de 4,11% de mutacoes no codon 12, 13 e 1,98% no exon 2 do gene N-ras em criancas com LLA. Quando analisadas 101 criancas que tiveram os dois exons estudados, a frequencia de mutacoes foi 6,93%, nao sendo diferente dos trabalhos da literatura que estudaram casuisticas semelhantes. Uma nova mutacao no codon 64 do gene N-ras foi detectada pelo sequenciamento em um paciente do presente trabalho, Nao foram observadas diferencas estatisticamente significativas comparando-se os dois grupos de pacientes com e sem mutacoes, e as variaveis sexo, idade, contagem de leucocitos ao diagnostico, estado nutricional e fatores de risco segundo o protocolo BFM de tratamento da LLA infantil. O numero de casos com reatividade ao PAS maior que 5% foi significantemente maior no grupo de criancas sem mutacoes no codon 12 e 13 do N-ras quando comparadas com o grupo com mutacoes. A comparacao das variaveis sobrevida global e tempo para qualquer recaida nao indicou diferencas significantes entre os pacientes com mutacao no codon 12 e 13 do N-ras e aqueles sem esta anormalidade. Estes resultados sugerem que, na crianca com LLA, as mutacoes do gene ras sao pouco frequentes ao dignostico e que a deteccao da ativacao deste gene possa ser de pequeno valor prognostico
Assunto Leucemia-Linfoma Linfoblástico de Células Precursoras
Oncogenes
Genes ras
Mutação
Biologia Molecular
Idioma Português
Data 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 114 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 114 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15481

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta