Oximetria do estômago: estudo comparativo entre vagotomia gástrica proximal e seromiotomia da curvatura gástrica menor anterior com vagotomia troncular posterior na úlcera duodenal crônica

Oximetria do estômago: estudo comparativo entre vagotomia gástrica proximal e seromiotomia da curvatura gástrica menor anterior com vagotomia troncular posterior na úlcera duodenal crônica

Título alternativo Oximetry of stomach: comparative study between proximal gastric vagotomy and anterior lesser curve seromyotomy with posterior truncal vagotomy in chronic duodenal ulcer
Autor Arasaki, Carlos Haruo Autor UNIFESP Google Scholar
Martinez, Júlio César Autor UNIFESP Google Scholar
Del Grande, José Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Delayed gastric emptying of solid food is greater after proximal gastric vagotomy (PGV) than after anterior lesser curve seromyotomy with posterior truncal vagotomy (ASPTV) and may be due to the hypoxia in the gastric wall and mainly in the gastric pacemaker. PURPOSE: To verify if operative devascularization of the lesser curve and the gastric fundus could affect the entire stomach and particularly the pacemaker area. METHODS: Measures of intraoperative oxyhemoglobin saturation (SpO2) were taken by pulse oximetry on the anterior gastric wall in 20 patients with chronic duodenal ulcer, randomly allocated in two groups of 10 individuals for surgical treatment, by PGV or ASPTV. RESULTS: Measurements, before partial fundoplication, showed that the area of the proximal lesser curve and the gastric fundus had a significant decrease in the SpO2 when compared to the gastric corpus (p < 0,05); the SpO2 was not reduced significantly by the procedures on the pacemaker area; the ligature of short gastric vessels, in association with PGV or ASPTV, reduced significantly the SpO2 (p < 0,05); and, PGV resulted in a SpO2 significantly lower than in ASPTV (p < 0,05). CONCLUSION: When PGV is associated with the ligature of the short gastric vessels, it causes acute ischemic changes in the proximal lesser gastric curve and in the fundus more intensively than ASPTV. The gastric pacemaker area does not present hypoxia immediately after operative procedures.

Retardo do esvaziamento gástrico de alimentos sólidos ocorre mais intensamente depois de vagotomia gástrica proximal (VGP) que após seromiotomia da curvatura gástrica menor anterior com vagotomia troncular posterior (SMAVTP), podendo estar relacionado à hipóxia da parede gástrica e, principalmente, do marcapasso gástrico. OBJETIVO: Determinar a repercussão da desvascularização cirúrgica da curvatura menor e do fundo gástrico no estômago como um todo e, particularmente, na região do marcapasso. MÉTODOS: Mediu-se a saturação de oxigênio da hemoglobina (SpO2) intra-operatória, por oximetria de pulso, da parede gástrica anterior em 20 portadores de úlcera duodenal crônica, alocados casualmente em dois grupos de 10 pacientes para tratamento cirúrgico por VGP ou SMAVTP. RESULTADOS: As medições, obtidas antes de fundoplicatura parcial, mostraram que o fundo gástrico e a curvatura menor proximal tiveram redução significante da SpO2 quando comparados ao corpo gástrico (p < 0,05); que a SpO2, na região do marcapasso gástrico, não sofreu alteração estatisticamente significante; que a associação entre ligadura dos vasos gástricos curtos e VGP ou SMAVTP reduziu significantemente a SpO2 (p < 0,05); e que a técnica da VGP resultou em SpO2 significantemente menor que a SMAVTP (p < 0,05). CONCLUSÃO: A VGP, quando associada à ligadura dos vasos gástricos curtos, produz alterações isquêmicas agudas da parede gástrica, na região da curvatura menor proximal e do fundo gástrico, mais intensas que a SMAVTP. A região do marcapasso gástrico não sofre hipóxia imediatamente após os procedimentos operatórios.
Assunto Stomach
Duodenal Ulcer
Proximal Gastric Vagotomy
Oximetry
Pacemaker
Estômago
Úlcera duodenal
Vagotomia gástrica proximal
Oximetria
Relógios biológicos
Idioma Português
Data 2002-12-01
Publicado em Revista da Associação Médica Brasileira. Associação Médica Brasileira, v. 48, n. 4, p. 323-328, 2002.
ISSN 0104-4230 (Sherpa/Romeo)
Editor Associação Médica Brasileira
Extensão 323-328
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302002000400038
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0104-42302002000400038 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1552

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0104-42302002000400038.pdf
Tamanho: 159.1Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta