Síndrome dos ovários policísticos: relação dos aspectos clínicos, hormonais e ultra-sonográficos

Síndrome dos ovários policísticos: relação dos aspectos clínicos, hormonais e ultra-sonográficos

Autor Teixeira Filho, Fabio Lopes Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Baracat, Edmund Chada Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O diagnostico da sindrome dos ovarios policisticos (SOP) tem uma perspectiva historica. Inicialmente baseava-se nos achados clinicos e histopatologicos; mais tarde dispensou-se maior atencao aos aspectos hormonais. Recentemente, por ser um metodo nao invasivo e apresentar alta concordancia com o exame histopatologico, a ultra-sonografia transvaginal tem sido utilizada por varios investigadores para avaliar o papel dos aspectos morfologicos ovarianos no diagnostico e prognostico da sindrome. Estudaram-se 32 mulheres, das quais oito eram normais e constituiram o grupo I (controle) e 24 com sindrome dos ovarios policisticos, as quais foram divididas em tres grupos (II ≤ 5 foliculos, III - 6-10 foliculos e IV > 10 foliculos), de acordo com o numero de cistos foliculares ovarianos identificados a ultra-sonografia transvaginal. Compararam-se o volume ovariano, aspectos clinicos (estado ponderal e hirsutismo), niveis sericos de gonadotrofinas, prolactina, testosterona, androstenediona, sulfato de deidroepiandrosterona e 17α-hidroxiprogesterona entre os grupos de pacientes com a sindrome e entre estes e o grupo controle. O padrao menstrual tambem foi comparado entre os grupos constituidos por pacientes com a sindrome. Observou-se que os grupos II e III apresentaram niveis de testosterona, volume ovariano e IMC significantemente maiores que os do grupo controle. Somente o grupo III demonstrou niveis de 17-OH significantemente maiores que os do grupo controle. O grupo IV destacou-se dos demais grupos de pacientes com a sindrome, pois apresentou volume ovariano, niveis de LH, testosterona e androstenediona significantemente maiores que os do grupo controle, e, alem disso, um maior numero de pacientes hirsutas foi observado nesse grupo. Nao houve diferenca significante em qualquer parametro estudado entre os grupos de pacientes com a SOP; consequentemente, o numero de cistos foliculares identificados a ultra-sonografia transvaginal nao demonstrou ser um parametro que refletisse a evolucao da sindrome
Assunto Síndrome do Ovário Policístico
Ultrassonografia
Ultrasonography
Polycystic Ovary Syndrome
Idioma Português
Data 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 76 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 76 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15553

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta