A dopplervelocimetria com mapeamento em cores dos ramos intramiometriais da arteria uterina de mulheres na pos-menopausa, com e sem carcinoma de endometrio

A dopplervelocimetria com mapeamento em cores dos ramos intramiometriais da arteria uterina de mulheres na pos-menopausa, com e sem carcinoma de endometrio

Autor Caramuru, Maria Paula Ribas Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Avaliaram-se 45 pacientes na pos-menopausa, sendo 31 com queixa de sangramento genital da pos-menopausa assistidas no Setor de Oncocirurgia da Disciplina de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo. As mulheres submeteram-se a ultrassonografia transvaginal para medir a espessura do eco endometrial, seguida pela dopplervelocimetria de ramos intramiometriais da arteria uterina, obtendo-se os indices de resistencia (IR) e de pulsatilidade (IP). A seguir, procedeu-se a biopsia de endometrio em quatro quadrantes com cureta de Novak modificada, para o estudo histopatologico endometrial. O volume uterino e a espessura do eco endometrial foram significantemente menores nas pacientes com endometrio atrofico, quando comparados com aquelas com endometrio ativo e com neoplasia maligna. Para deteccao de neoplasia maligna do endometrio, quando se empregou o limite de espessura do eco endometrial de oito mm, a sensibilidade do ultrassom foi de 100%, a especificidade de 55,2%, o valor preditivo positivo de 55,2% e, o negativo, de 100%. A sensibilidade na deteccao desta neoplasia foi de 81,2%, a especificidade de 93,1%, o valor preditivo positivo de 86,7% e o valor preditivo negativo de 90,0% quando o valor limite adotado para o IR dos vasos intramiometriais foi de 0,60. Estabelecendo-se o limite de 1,0 para o IP, obtivemos sensibilidade de 87,5%, especificidade de 89,6%, valor preditivo positivo de 82,3% e valor preditivo negativo de 92,9%. Nossos achados nao nos permitem substituir a total investigacao histopatologica da cavidade uterina por esses metodos. Entretanto, a utilizacao da ultrassonografia transvaginal associada ao doppler colorido devera diminuir o numero de curetagens desnecessarias, especialmente quando a causa do sangramento genital da pos-menopausa for o endometrio atrofico
Assunto Endométrio
Ultrassonografia
Ultrassonografia Doppler em Cores
Pós-Menopausa
Idioma Português
Data 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 95 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 95 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15578

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta