Reatividade de antígenos glicolipídicos de Paracoccidioidomicose brasiliensis e Leishmania major com anticorpo monoclonal Mest-1, específico contra resíduos terminais de galactofuranose: papel da galactofuranose na infectividade

Reatividade de antígenos glicolipídicos de Paracoccidioidomicose brasiliensis e Leishmania major com anticorpo monoclonal Mest-1, específico contra resíduos terminais de galactofuranose: papel da galactofuranose na infectividade

Título alternativo Reactivity of glycolipidic antigens of Paracoccidioides brasiliensis and Leishmaniasis major with a monoclonal antibody MEST-1 (IGG3) specific against galactofuranose residues: role of galactofuranose in the infection
Autor Suzuki, Erika Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Straus, Anita Hilda Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo anticorpo monoclonal (MoAb) denominado MEST-1 (IgG3), foi produzido contra o antígeno glicolipídico Banda 1 de Paracoccidioides brasiliensis, que apresenta um resíduo terminal de ß-D-galactofuranose. Este antígeno está presente nas formas de micélio e levedura deste fungo, e sua estrutura glicana foi recentemente elucidada (Levery et al., 1996) como: Galfß1->6(Manpßalfa1->3)Manpß1->2Ins. Através de radioimunoensaio em fase sólida (RIA), foi observado que o MoAb MEST-1 reconheceu baixas quantidades (a partir de 1 ng) do glicolipídeo Banda 1, isolado tanto de formas de levedura quanto de micélio de P. brasiliensis. Por imunofluorescência indireta, utilizando o MOAb MEST-1, verificou-se que o antígeno glicolipídico Banda 1 está na superfície de formas de levedura, estando críptico nas formas de micélio, uma vez que só foi observado fluorescência nos brotamentos das formas de levedura. O MoAb MEST-1 não apresentou fluorescência com outros fungos como: Histoplasma capsulatum e Candida albicans, apresentando baixa reatividade com Aspergillus fumigatus. O epitopo reconhecido pelo MoAb MEST-1 foi determinado através de vários ensaios químicos e imunoquímicos. Por oxidação suave do glicolipídeo Banda 1 (condições nas quais carbohidratos na configuração de furanose são oxidados) e de ensaios de inibição utilizando metil-monossacarídeos, demonstrou-se que oMoAb MEST-1 reconhece o resíduo terminal de ß-D-galactofuranose unido ao resíduo de manose através de ligação ß1->6. A reatividade do MoAb MEST-1 com tripanosomatídeos, que sabidamente apresentam glicoconjugados contendo resíduos internos e terminais de galactofuranose, foi analisada. Entre os parasitas estudados (promastigotas de L. major e L. (L.) amazonensis, amastigotas de L. (L.) amazonensis e epimastigotas de T. cruzi), somente formas promastigotas de L. major e formas epimastigotas de T. cruzi, as quais possuem glicolipídeos que apresentam resíduos terminais de ß-D-galactofuranose, apresentaram reatividade com o MoAb MEST-1. O antígeno reconhecido pelo MOAb MEST-1 em formas promastigotas de L. major foi determinado como sendo exclusivamente o GIPL-1, que apresenta um resíduo terminal de galactofuranose unido ao resíduo de manose através de ligação ß1->3. A afinidade do MoAb MEST-1 pelo GIPL-1 de L. major e pelo glicolipídeo Banda 1 de P. brasiliensis é semelhante, indicando que este anticorpo monoclonal reconhece resíduos terminais de ß-D-galactofuranose ...(au).
Assunto Paracoccidioides
Leishmania
Anticorpos Monoclonais
Glicolipídeos
Infecção
Paracoccidioides
Leishmania
Antibodies, Monoclonal
Glycolipids
Infection
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 95 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 95 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15608

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta