Estudo comparativo dos indices de aptidao fisica em portadores de defiCiência nmental

Estudo comparativo dos indices de aptidao fisica em portadores de defiCiência nmental

Título alternativo Comparative studies of physical fitness indeces in patients with mental disords
Autor Barros, Jonatas de Franca Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Com o objetivo de comparar o indice de aptidao fisica em portadores de defiCiência mental nas variaveis somaticas, cardio-respiratorias e neuro-motoras, estudou-se 108 individuos portadores de defiCiência mental leve e moderada, com a idade variando entre 10 e 36 anos todos praticantes regulares de atividade fisica em diferentes modalidades. Estudamos 74 individuos do sexo masculino, divididos em deficiente mental leve (N= 37), deficiente mental moderado (N= 37). No sexo feminino, foram 34 individuos divididos em: deficiente mental leve (N= 18), e deficiente mental moderado (N= 16), todos matriculados na APAE (Associacao dos Pais e Amigos dos Excepcionais) em seus respectivos nucleos: Vila Mariana, Itaim e Broklin da Cidade de São Paulo, SP. A coleta de dados foi aplicada numa unica fase. Todos foram comparados nas seguintes variaveis: 1) consumo maximo de oxigenio (VO2 maximo); 2) medidas antropometricas de peso, estatura, dobras cutaneas e gordura corporal relativa; 3) flexibilidade, com o teste de sentar e alcancar; 4) impulsao vertical; 5) velocidade de 50 metros e 6) agilidade pelo Shuttle-run. Comparando-se os deficientes mentais leves com os deficientes mentais moderados constatamos menor percentual de gordura corporal (P alfa = 0,0148), maior VO2 max (P alfa = 0,0001), maior impulsao vertival (P alfa = 0,0001), maior velocidade (P alfa = 0,0001), e maior agilidade (P alfa = 0,0001) nao existindo diferenca quanto a flexibilidade. Estes resultados sao detectados em ambos os sexos. Os resultados obtidos mostram tambem que os deficientes mentais ativos mantem percentual de gordura corporal abaixo dos indices de obesidade estabelecidos para a populacao. Em relacao aos padroes populacionais observamos tambem menor VO2 max, maior flexibilidade e impulsao vertical e menor velocidade de corrida. Estes resultados caracterizam a importancia da atividade fisica para os deficientes e a necessidade dos programas serem desenvolvidos respeitando as caracteristicas dos pacientes
Assunto Deficiência Intelectual
Aptidão Física
Exercício
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 99 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 99 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15624

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta