Estudo da amplitude contrátil de segmentos remanescentes do intestino delgado e grosso após ressecção extensa do intestino: estudo in vitro

Estudo da amplitude contrátil de segmentos remanescentes do intestino delgado e grosso após ressecção extensa do intestino: estudo in vitro

Título alternativo Contractile amplitude of the remaining segments of the small and large intestines after resection: study in vitro
Autor Larangeira, Lino Luis Sanches Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Plapler, Hélio Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Visando à avaliação da amplitude contrátil do jejuno, íleo e colon, após ressecção extensa, utilizaram-se trinta e nove ratos distribuidos em quatro grupos. Os animais do grupo I não foram submetidos à intervenção operatória, servindo como grupo de controle. No grupo II, os animais foram submetidos à ressecção de oitenta por cento do jejuno-íleo, enquanto no grupo III o procedimento operatório foi igual ao grupo II associado com ressecção de vinte e cinco do colon. Os animais do grupo IV foram submetidos apenas à ressecção de vinte e cinco por cento do colon. No septuagésimo dia de pós-operatório, foi realizada a eutanásia com retirada de segmentos intestinais de três centímetros de comprimento do jejuno, íleo e colon, para a realização do registro da contração isométrica dos segmentos intestinais. Para o estudo da amplitude contrátil intestinal, utilizou-se como procedimento a curva concentração-resposta a um agonista. Concluiu-se que todos os segmentos intestinais estudados atingiram um máximo de tensão, caracterizando uma sensibilidade da fibra muscular ao agonista, sugerindo integridade dos receptores de membrana. Em relação a amplitude contrátil, as resseções intestinais de oitentya por cento do jejuno-íleo, associadas ou não à ressecção de vinte e cinco por cento do colon, promovem uma diminuição na amplitude contrátil do intestino delgado distal, enquanto as ressecções isoladas de vinte e cinco por cento do colon influem apenas na amplitude contrátil do colon. Demonstra-se que a motilidade faz parte do processo adaptacional, diminuindo distalmente.
Assunto Atividade motora
Intestinos/cirurgia
Motilidade gastrointestinal
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 70 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 70 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15629

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta