Privação de sono parodoxal e a neurotransmissão noradrenérgica no sistema nervoso central: determinação do número e da afinidade de receptores beta-adrenérgicos no córtex cerebral, hipocampo e tronco cerebral de ratos

Privação de sono parodoxal e a neurotransmissão noradrenérgica no sistema nervoso central: determinação do número e da afinidade de receptores beta-adrenérgicos no córtex cerebral, hipocampo e tronco cerebral de ratos

Título alternativo Paradoxical sleep deprivation and neuroadrenergic neurotransmission of central nervous system: determination of the mumber and beta adrenergic receptors affinity in cerebral cortex, hippocampus and brain stein if rats
Autor Pedrazzoli, Mario Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Venditti, Marco Antonio Campana Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A privação de sono paradoxal possui efeito antidepressivo em humanos e em modelos animais de depressão. Um efeito comum a diferentes tratamentos antidepressivos na neurotransmissão noradrenérgica, no sistema nervoso central de ratos, é a diminuição dos receptores ß-adrenéricos e da atividade da enzima adenil-ciclase após tratamentos antidepressivos crônicos. A latência para a diminuição destes receptores após o inicio do tratamento em animais, pode ser relacionada à latência para o aparecimento da melhora clínica de pacientes submetidos a tratamentos antidepressivos, por isso a diminuição dos receptores ß-adrenérgicos após tratamentos antidepressivos crônicos tem sido proposta como um importante mecanismo na remissão dos sintomas das depressões. O efeito da privação de sono paradoxal nos receptores ß-adrenérgicos do sistema nervoso central de ratos é um dado ainda controverso na literatura. Já foram relatados uma dimunuição destes receptores no córtex cerebrale uma diminuição da produção de AMPc ligada da adenil-ciclase, estimulado pela noradrenalina, após a privação de sono paradoxal. Por outro lado, também já foi relatado que a privação de sono paradoxal não tem efeito nos receptores ß-adrenérgicos do córtex cerebral de ratos. Os receptores ß-adrenérgicos existem em dois estados de afinidade, denominados sítios de alta e de baixa afinidade. Os sítios de alta afinidade estão ligados à atividade da enzima adenil-ciclase e conseqüente produção de AMPc nas células do tecido nervoso. Eles são regulados de maneira independente dos sítios de baixa afinidade e a regulação de ambos após tratamento antidepressivo crônico está relacionada a um sistema de neurotransmissão serotonérgico intacto. O objetivo do nosso estudo foi verificar o efeito da privação de sono paradoxal nos receptores ß-adrenérgicos no córtex cerebral, tronco cerebral e hipocampo de ratos e se a privação regula de maneira semelhante a outros tratamentos antidepressivos os sítios de alta e baixa afinidades destes receptores. Nossos resultados mostram que a privação de sono paradoxal po 96 h diminue os receptores ß-adrenérgicos nas três regiões estudadas, e que essa diminuição se dá somente nos sítios de alta afinidade destes receptores. Estes resultados estão de acordo com os resultados descritos na literatura para outros tratamentos antidepressivos e reforça a idéia de que a dimunuição dos sítios de alta afinidade dos receptores ß-adrenérgicos é um mecanismo importante...(au.
Assunto Privação do sono
Sono REM
Receptores adrenérgicos beta
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 95 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 95 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15631

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta