Avaliacao do nivel de consCiência pelo enfermero no servico de emergencia

Avaliacao do nivel de consCiência pelo enfermero no servico de emergencia

Título alternativo Assessment of consciousness by the nurse in emergency services
Autor Alves, Denise Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Tendo em vista os avancos da assistencia as vitimas de causas externas, ou seja, acidentes ou violencias, e a implementacao de um sistema integrado de assistencia pre-hospitalar e hospitalar de emergencia, um dos aspectos que vem merecendo uma reapreciacao fdiz respeito a avaliacao do nivel de consCiência. Mundialmente, utiliza-se a Escala de Coma de Glasgow (ECGI) e para ela tem sido recomendadas algumas adaptacoes quando aplicada no servico de emergencia (SE). Tratando-se de uma realidade ainda em fase de implantacao ou de consolidacao no nosso meio, aliada a falta de dados que identifiquem se ha necessidade de reavaliacao do enfermeiro de SE, neste aspecto, propos-se o estudo, cujos objetivos foram: identificar as caracteristicas dos enfermeiros de SE, segundo alguns aspectos demograficos e formas de aquisicao do conhecimento, para realizar a avaliacao do nivel de consCiência; identificar como esta vem sendo executada e analisar com a ECGI, se em uso, e implementada no SE. Utilizando um formulario especifico, previamente testado, foram entrevistados 75 enfermeiros de seis hospitais de referencia para trauma do Municipio de São Paulo, no periodo de janeiro a marco de 1997. A populacao estudada caracterizou-se como tendo idade media de 36,6 anos, ser predominantemente feminina, ter-se graduado em instituicoes localizadas na grande São Paulo, ter menos de 5 anos de experiencia profissional e exercer funcao assistencial. Constatou-se falta de regularidade e sistematizacao na avaliacao. Como meio de avaliacao predominaram as formas descritivas e as informacoes obtidas na passagem de plantao. Somente 32 (42,7(por cento)) enfermeiros informaram usar a ECGI. Embora a maioria tenha respondido nao sentir dificuldades na execucao da avaliacao dos seus pacientes no SE e sentir-se habil, a maioria apontou aspectos da avaliacao que gistariam que fossem reforcados. Na analise especifica do subgrupo que utiliza a ECGI (n=32), constatou-se que a reciclagem e desejavel e necessaria para adequar o uso da ECGI no SE, tanto em relacao as condicoes especificas do paciente que chega apos atendimento do servico pre-hospitalar, como tambem em relacao a pontuacao e registro dos dados obtidos. Espera-se que este estudo possa subsidiar nao apenas os programas de educacao continuada dos enfermeiros de SE, mas tambem contribuir para a revisao dos programas de ensino de graduacao em enfermagem e de Pós-graduação desta area de especializacao
Assunto Escala de Coma de Glasgow
Serviço Hospitalar de Emergência
Traumatismos Encefálicos
Conscientização
Causalidade
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 100 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 100 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15658

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta