Estado nutricional de gestantes adolescentes e sua relacao com o peso do recem-nascido em Vicosa-MG

Estado nutricional de gestantes adolescentes e sua relacao com o peso do recem-nascido em Vicosa-MG

Título alternativo Nutritional condition of teenager pregnant and its relationship with newborn weight in Vicosa-MG
Autor Rosado, Lina Enriqueta Frandsen Paez de Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O aumento da frequencia de adolescentes que engravidam a cada ano, no mundo, tem levado muitos pesquisadores a estudar essa maes e seus filhos, avaliando as consequencias biologicas e sociais de uma gravidez prematura em um grupo biologicamente vulneravel. O presente estudo, longitudinal prospectivo, foi desenvolvido com 203 gestantes adolescentes que fizeram o pre-natal no Centro de Saúde da Mulher e da Crianca, no Municipio de Vicosa-MG, no periodo de fevereiro de 1995 a setembro de 1996, com o objetivo de estabelecer a real prevalencia e os fatores determinantes da gestacao na adolescencia neste Municipio. Foram levantados dados a respeito das condicoes de moradia; da escolaridade; da ocupacao; de antecedentes familiares pessoais; de antecedentes ginecologicos e obstetricos e da gestacao atual (avaliacao antropometrica e dietetica e avaliacao do recem-nascido). A maioria das gestantes vivia em boas condicoes de moradia e saneamento, tinha baixa escolaridade e nao trabalhava. Demonstraram ainda, desconhecimento sobre metodos contraceptivos e processo reprodutivo. Constatou-se a inadequacao da inGestão de calorias, ferro e calcio. O consumo de proteinas, com excecao do 2º trimestre foi adequado numericamente, porem sabe-se que a inadequacao calorica limita a utilizacao da proteina. A incidencia de recem-nascido de baaixo peso foi de 7,9(por cento) e de peso deficiente 33,0(por cento), constatando-se dessa forma que 40,9(por cento) dos recem-nascidos eram considerados de risco. A incidencia de baixo peso foi menor do que a registrada para Vicosa no mesmo periodo (9,5(por cento)).Apenas 11,9(por cento) das gestantes estudadas ganharam peso segundo as recomendacoes de acordo com o IMC pre-gestacional, sendo registrado maiores ganho no segundo trimestre da gestacao. Constatou-se que as gestantes que ganharam mais gordura foram aquelas que iniciaram a gestacao com menos gordura corporal. Evidencia-se dessa forma a necessidade de se fazer reservas para o final da gestacao, quando as demandas fetais sao maiore. As variaveis que explicam o peso do recem-nascido foram idade gestacional, tabagismo, peso pre-gestagional, cor, sexo do recem-nascido e ganho de peso. Contudo, essas variaveis explicam apenas 23,8(por cento) nas gestantes analisadas de forma geral, enquanto que houve diferenca entre as menores de 18 anos (32,6(por cento)) e as maiores de 18 anos(15,6(por cento)). Isso pode indicar a maior vulnerabilidade das gestantes mais novas as condicoes ambientais
Assunto Gravidez na Adolescência
Avaliação Nutricional
Antropometria
Composição Corporal
Peso ao Nascer
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 158 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 158 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15738

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta