Avaliacao da eficacia e tolerabilidade da mirtazapina no transtorno depressivo - meta-analise de estudos comparativos

Avaliacao da eficacia e tolerabilidade da mirtazapina no transtorno depressivo - meta-analise de estudos comparativos

Título alternativo Evaluate the efficacy and tolerability of mirtazapine in drepressive disorders - meta-analysis of the comparative study
Autor Borborema, Ana Amelia Novaes de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: i) Avaliar a eficacia da mirtazapina (novo antidepressivo com atuacao nos sistemas noradrenergico e serotoninergico) no transtorno depressivo em comparacao com antidepressivos triciclicos e placebo; ii) Estabelecer seu perfil de tolerabilidade, analisando os efeitos adversos. Desenho do estudo: Meta-analise de estudos controlados, duplo-cegos e randomizados. Material e metodos: A pesquisa bibliografica foi realizada pelo sistema Medline a partir do ano de 1990, ano de publicacao do primeiro estudo clinico sobre mirtazapina, ate 1997. Utilizamos os termos ORG 3770 e mirtazapine, o que permitiu o acesso aos dez estudos incluidos neste trabalho. Alem disso, obtivemos dados do laboratorio Organon. Os estudos foram avaliados por dois examinadores cegos, obtendo-se escores de qualidade. Resultados: A mirtazapina demonstrou eficacia significantemente superior quando comparada a placebo (OR= O,3 6 IC 95(por cento)= O,25-0,5 I; p< O,OOO I), resultado que foi equivalente ao da anutriptilina: (OR= O,3 7; IC 95(por cento)= O,26-0,82; p< O,OOO I). A comparacao entre mirtazapina e ADT nao revelou diferenca estatisticamente significante entre as drogas. O mesmo foi observado ao se avaliar o numero de pacientes que abandonaram o tratamento por falta de eficacia em ambos os grupos. O abandono do tratamento por efeitos adversos foi maior entre os pacientes tratados com ADT (p = O,O I). A analise da interrupcao prematura do tratamento por qualquer razao nao expressou diferenca entre os grupos. A frequencia de sedacao/sonolencia foi a mesma em ambos os grupos, entretanto, a mirtazapina apresentou significantemente menos boca seca, em comparacao com os ADT, respectivamente 9(por cento) e 14(por cento) (p = O,O I). Conclusoes: Esta revisao sistematica da literatura sugere que: i) em termos de eficacia, a mirtazapina e superior a placebo e comparavel aos ADT no tratamento do transtorno depressivo de moderado a grave; ii) os efeitos anticolinergicos foram significantemente menos frequentes nos pacientes tratados com mirtazapina do que com ADT. Palavras-chave : Mirtazapina; Antidepressivos Triciclicos; Meta-analise; Depressao
Assunto Mianserina
Metanálise
Antidepressivos Tricíclicos
Depressão
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 79 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 79 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15746

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta