Oximetria do estômago: estudo comparativo entre vagotomia gástrica proximal e seromiotomia da curvatura gástrica menor anterior com vagotomia troncular posterior na úlcera duodenal crônica

Oximetria do estômago: estudo comparativo entre vagotomia gástrica proximal e seromiotomia da curvatura gástrica menor anterior com vagotomia troncular posterior na úlcera duodenal crônica

Título alternativo Oximetry of stomach: comparative study between proximal gastric vagotomy and anterior lesser curve seromyotomy with posterior truncal vagotomy in chronic duodenal ulcer
Autor Arasaki, Carlos Haruo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Del Grande, José Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Retardo do esvaziamento gastrico de alimentos solidos ocorre mais intensamente depois de vagotomia gastrica proximal (VGP) que apos seromiotornia da curvatura gastrica menor anterior com vagotomia troncular posterior (SMAVTP), podendo estar relacionado a hipoxia da parede gastrica e, principalmente, do marcapasso gastrico. Para se determinar a repercussao da desvascularizacao cirurgica da curvatura menor e do fundo gastrico no estomago como um todo e, particularmente, na regiao do marcapasso, mediu-se a saturacao de oxigenio da hemoglc)bina (SPO2) intraoperatoria, por oximetria de pulso, da parede gastrica anterior em vinte (20) portadores de ulcera duodenal cronica, alocados casualmente em dois (2) grupos de dez (lO) pacientes para tratamento cirurgico por VGP ou SMAVTP. Os resultados, obtidos antes de fundoplicatura parcial, mostraram que o fundo gastrico e a curvatura menor proximal tiveram reducao significante da SpO2 quando comparados ao corpo gastrico (p< O,05); que a SpO2, na regiao do marcapasso gastrico, foi reduzida pelas operacoes, principalmente no Grupo VGP, embora sem significancia estatistica; que a associacao entre ligadura dos vasos gastricos curtos e VGP ou SMAVTP reduziu significantemente a SpO2 (P < O,05); e que a tecnica da VGP resultou em SpO2 significantemente menor que a SMAVTP (p < O,05). Houve diferenca significante, tambem, entre as medidas de SpO2 acompanhadas de onda pletismografica regular e as acompanhadas de onda irregular tanto no Grupo VGP (p< O,001) quanto no da SMAVTP (p = O,04). Alem disso, a curva de SPO2 no estomago, com onda pletismografica regular, diferiu significantemente da Curva de Gauss (p< O,05). Pode-se supor que hipoxia apos VGP cause comprometimento do marcapasso gastrico, e que a associacao entre ligadura dos vasos gastricos curtos e, particularmente, VGP determine isquemia no fundo gastrico e na curvatura menor pi@oximal do estomago
Assunto Estômago
Úlcera duodenal
Vagotomia gástrica proximal
Oximetria
Relógios biológicos
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 139 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 139 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15753

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta