Aspectos da imunidade humoral em transplante cardiaco humano

Aspectos da imunidade humoral em transplante cardiaco humano

Título alternativo Aspects of the humoral immunity in human cardiac
Autor Morgun, Andriy Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os objetivos de nosso estudo foram: (l) investigar correlacao entre niveis de IgA no soro pre-transplante (-TX) e a evolucao do Tx cardiaco; (2) investigar a relacao entre a producao pos-Tx de anticorpos anti-HLA, anti-miosina e anti-hsp e a ocorrencia de rejeicao aguda. A concentracao de IgA, IgM e IgG foi determinada em soros pre-Tx de 41 pacientes e em soros de 28 pacientes colhidos ao final do primeiro ano pos-Tx. Nao observamos relacao entre o nivel de IgA pre-Tx com a sobrevida do paciente em 12 meses, nem com a gravidade dos episodios de rejeicao que ocorreram durante o primeiro ano pos-Tx. As concentracoes de IgA, IgM e IgG nos soros pre-Tx foram consideravelmente mais elevadas do que as de controles normais (p<O.0Ol, para todas as comparacoes). Pacientes com aterosclerose coronaria apresentaram niveis de IgA mais altos do que pacientes sem esta patologia (p<O.O5). A comparacao entre niveis de imunoglobulinas em soros pre e pos-Tx nao revelaram diferencas significativas, exceto em relacao a IgA, em que os niveis diminuiram dramaticamente nos pacientes portadores de aterosclerose. Anticorpos anti-HLA, anti-miosina e anti-hsp foram determinados sequenciaimente no soro de 12 receptores durante os primeiros seis meses pos-Tx. Anticorpos anti-HLA da classe IgG foram detectados em somente duas amostras de soro de um paciente que perdeu o enxerto por rejeicao vascular. Por outro lado, anticorpos anti-HLA da classe IgM foram detectados em todos os receptores e nao mostraram associacao com rejeicao. A analise de 12 episodios de rejeicao mostrou aumento dos niveis de IgG anti-miosina ao inicio do episodio e decrescimo ao seu final. Alteracoes nos niveis de IgG anti-hsp nao mostraram relacao com episodios de rejeicao. Os resultados obtidos permitiram as seguintes conclusoes: (1) nao obtivemos nenhuma indicacao que os niveis pre-Tx de IgA serica possam ser considerados como um fator que mostre correlacao com a evolucao do transplante; deve ser considerado, entretanto, que a elevacao dos niveis de IgA em candidatos a transplante cardiaco, associada a aterosclerose coronariana ou a outras doencas, poderia ser um fator que poderia mascarar a relacao entre os niveis de IgA e a evolucao do transplante, tal como foi relatada em transplantes renais; (2) os niveis de IgA, IgM e IgG, tanto em soros pre como pos-Tx, apresentam-se consideravelmente mais elevados do que os observado em individuos sadios; (3) a producao de anticorpos IgG anti-HLA e um...(au)
Assunto Transplante de Coração
Imunoglobulinas
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 56 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 56 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15762

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta