Estudo in vitro da descontaminação da esclera humana

Estudo in vitro da descontaminação da esclera humana

Título alternativo In vitro study of human sclera desinfection
Autor Lucci, Lucia Miriam Dumont Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Hofling-Lima, Ana Luisa Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A esclera humana e frequentemente usada em cirurgias oftalmologicas, e deve ser preservada em desinfetantes que evitem sua contaminacao e que a descontamine.O objetivo deste estudo foi determinar a eficacia das substancias: glicerina, alcool absoluto e cloreto de benzaiconio (l:5000) como desinfetantes da esciera humana. Seis escleras humanas frescas foram trepanadas em 174 discos de esclera de 6 mm de diametro. Fragmentos de esclera fresca, provenientes de cada globo ocular, foram submetidos a cultura para determinar a existencia de um microrganismo. Os discos de esciera foram divididos em tres grupos e colocados dentro de tubos contendo, separadamente, 10 ml de solucao salina com a turvacao correspondente ao numero l da escala de McFarland com os seguintes microrganismos: Staphylococcus aureus (ATCC 29213), Pseudomonas aeruginosa (ATCC 27853) e Bacillus cereus (ATCC 11778), mantidos a temperatura ambiente por 24 horas, sendo retirado dois discos de esclera de cada microrganismos para controle da contaminacao. Os 56 discos de esclera ontaminados com um determinado microrganismo foram transferidos para quatro tubos contendo, em cada um, 10 ml de glicerina, alcool absoluto, cloreto de benzalconio ou TSB. Ao final desta etapa, haviam 12 tubos, que foram mantidos a temperatura ambiente. Foi estudada a acao de tres meios de desinfeccao para descontaminar a esciera humana: glicerina, alcool absoluto e cloreto de benzalconio associado com o alcool 70 por cento (l:5000). Para controle da viabilidade dos microrganismos, um grupo de discos de esclera contaminados foi imerso em meio de cultura TSB e submetido a cultura nos mesmos intervalos de tempo dos discos de esclera imersos nos meios desinfetantes. Dois discos de esciera foram removidos de cada tubo nos dias 1, 2, 3, 4, 7, 10 e 14 deste estudo. Um disco escieral foi macerado com homogeneizador de tecidos e semeado em agar sangue, utilizando-se alca calibrada O,001 ml, e o 71 outro foi semeado inteiro. As placas de agar sangue foram incubadas a 37ºC e colonias bacterianas foram contadas com 24 e 48 horas. Staphylococcus aureus foi recuperado da esclera preservada em glicerina por ate quatro dias; Pseudomonas aeruginosa foi recuperada ate dois dias e Bacillus cereus foi recuperado durante os 14 dias deste estudo. Bacillus cereus foi recuperado da esciera preservada em alcool absoluto por ate 14 dias, mas as outras bacterias nao foram recuperadas desde o primeiro dia. Bacillus cereus foi...(au)
Assunto Esclera
Soluções para preservação de órgãos
Glicerol
Etanol
Compostos de benzalcônio
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 100 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 100 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15785

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta