Avaliação tardia de doentes esquistossomóticos, nao operados, apos a erradicação por escleroterapia endoscópica de varizes hemorrágicas de esófago

Avaliação tardia de doentes esquistossomóticos, nao operados, apos a erradicação por escleroterapia endoscópica de varizes hemorrágicas de esófago

Título alternativo Late evaluation of patients with schistosomiasis, not previously submitted to surgical treatment, after eradication of bleeding esophageal varices by endoscopic sclerotherapy
Autor Colleoni Neto, Ramiro Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lopes Filho, Gaspar de Jesus Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O autor avaliou, num periodo tardio, trinta e sete doentes com a forma hepatosplenica compensada da esquistossomose e antecedente de hemorragia varicosa, que nao haviam sido submetidos previamente ao tratamento cirurgico da hipertensao portal, e cujas varizes de esofago foram erradicadas por escleroterapia endoscopica, no setor de Endoscopia Digestiva da Disciplina de Gastroenteroiogia Cirurgica da UNIFESP, entre janeiro de 1986 e dezembro de 1994. Constituiram a casuistica 21 pacientes do sexo masculino e 16 do sexo feminino, com idade variando de 17 a 66 anos, sendo a mediana 36 anos. O periodo de acompanhamento apos a erradicacao das varizes variou de 36 a 126 meses, sendo a mediana 59 meses. A tecnica de escleroterapia empregada foi a de injecoes intravaricosas de oleato de monoetanolamina a 3 por cento , realizadas por diferentes examinadores. O numero de sessoes ate que o exame endoscopico evidenciasse a erradicacao das varizes variou de quatro a nove, com a mediana de seis sessoes. O periodo de tempo observado entre o inicio do tratamento endoscopico e a observacao do desaparecimento das varizes variou de tres a 17 meses, sendo a mediana de 7 meses. A hemorragia digestiva foi observada durante o tratamento endoscopico em oito pacientes (21,6 por cento ), sempre controlada com medidas clinicas e endoscopicas. Durante o periodo de acompanhamento apos a erradicacao 62,2 por cento dos pacientes apresentaram varizes esofagicas neoformadas necessitando de novas intervencoes endoscopicas. Na maior parte dos doentes esse diagnostico foi realizado efetivamente e nao determinou complicacoes. A ocorrencia de hemorragia digestiva apos a erradicacao das varizes foi observada em 18,9 por cento dos pacientes, sendo a maior parte causada por cordoesvaricosos neoformados, tambem controlados com medidas clinicas e endoscopicas. Os episodios hemorragicos foram observados apenas ate 0 59º mes apos a erradicacao, sendo todos de leve intensidade, sugerindo que apos esse periodo os pacientes que sao acompanhados com regularidade teriam menor risco de apresentarem novo sangramento. Nao houve nbenhum obito no periodo de acompanhamento e nenhum dos pacientes foi submetidos ao tratamento cirurgico da hipertensao portal. A avaliacao tardia deste grupo de doentes selecionados permitiu as seguintes conclusoes, validas para este grupo selecionado: 1) a maioria dos pacientes apresentou varizes esofagicas neoformadas num perio...(au)
Assunto Varizes Esofágicas e Gástricas
Esquistossomose mansoni
Hipertensão Portal
Escleroterapia
Hemorragia Gastrointestinal
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 160 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 160 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15787

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta