Ressonancia magnetica da hipofise em pacientes com depressao de inverno e voluntarios sadios: efeitos da fototerapia e da variacao sazonal

Ressonancia magnetica da hipofise em pacientes com depressao de inverno e voluntarios sadios: efeitos da fototerapia e da variacao sazonal

Título alternativo Magnetic ressonance of hipophysisis in patients with of winter depression and healtly voluntary: effect of the phototherapy and seasonal variation
Autor Scippa, Angela Marisa de Aquino Miranda Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo As alteracoes sazonais de humor foram descritas, desde a Antiguidade, por filosofos gregos, mas o reconhecimento da depressao de inverno, enquanto entidade nosologica, so foi feito em 1984 por um grupo de pesquisadores do NIMH. A partir de entao, seu diagnostico se expandiu em diversos paises, apesar das controversias que persistem em relacao a sua caracterizacao, fisiopatologia e formas de tratamento, incluindo a fototerapia como modalidade de tratamento de primeira escolha. No presente estudo, foram observadas ausencia de alteracoes significativas no volume hipofisario de pacientes e ausencia de modificacoes nos parametros de sono desses pacientes apos fototerapia. Esses resultados apontam no mesmo sentido do que foi descrito em outros estudos que avaliaram pacientes com depressao de inverno. Da mesma forma, a eficacia da fototerapia com exposicao a 10000 lux, durante 30 min no periodo da manha, foi tambem reafirmada. Entretanto, nao houve modificacao significativa do tamanho hipofisario apos exposicao a 10000 lux. Por outro lado, a ausencia de alteracoes sazonais no volume da hipofise de controles e pacientes, no inverno e verao, com alteracoes significativas na altura, comprimento e largura podem sugerir a presenca de alteracoes estruturais sazonais na hipoflse, assim como ja descrito para as variacoes sazonais hormonais. Entretanto, vaie ressaltar que o pequeno numero de pacientes com depressao de inverno avaliados nesse e em outros estudos neuroendocrinos dificultam uma compreensao mais adequada desse subtipo de depressao e dos seus aspectos clinicos e laboratoriais. Dessa forma, torna-se necessaria a realizcao de mais estudos que envolvam um numero maior e mais homogeneo de pacientes e que avaliem nao so a presenca ou ausencia de altera'coes, sejam elas estruturais ou funcionais, mas que tambem avaliem a influencia da sazonalidade sobre essas alteracoes
Assunto Hipófise
Depressão
Fototerapia
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 143 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 143 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15793

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta