Oxamniquine e praziquantel no tratamento da esquistossomose mansônica: uma revisão sistemática

Oxamniquine e praziquantel no tratamento da esquistossomose mansônica: uma revisão sistemática

Título alternativo The evaluate the treatment of Schistosomiasis mansoni with oxamniquine or praziquantel
Autor Saconato, Humberto Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Atallah, Álvaro Nagib Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo OBJETIVO: Avaliar o tratamento da esquistossomose mansonica com oxamniquine ou praziquantel. ESTRATEGIA DE PESQUISA: Fontes dos dados: 1. Banco de dados do MEDLINE e LILACS; 2. Registro de ensaios clinicos do Grupo de Doencas Infecciosas do Cochrane Collaboration; 3. Registro de ensaios clinicos do Cochrane Library; 4. Referencias bibliograficas de livros e artigos. Nao houve restricoes de idioma. CRITERIOS DE SELECAO: Todos os ensaios clinicos aleatorios ou pseudoaleatorios (individual ou grupo) sobre oxamniquine e/ou praziquantel no tratamento da esquistossomose mansonica foram incluidos. EVENTOS MEDIDOS: Ausencia de ovos viaveis de Schistosoma mansoni nas fezes ou biopsia da mucosa retal apos um mes e apos tres meses do tratamento; clinica evidencia de melhora; qualquer medida de tolerabilidade. COLETA DE DADOS E ANALISE: Os revisores aplicaram criterios de inclusao independentemente. Qualidade metodologica foi avaliada utilizandose conduta padronizada pelo Grupo de Doencas Infecciosas do Cochrane Collaboration. Caracteristicas pre-especificados dos ensaios clinicos foram extraidos de cada estudo incluido. RESULTADOS: Dez ensaios clinicos preencheram os criterios de inclusao. Praziquantel foi efetivo na cura da infeccao pelo Schistosoma mansoni quando comparado ao placebo. Na Africa, o praziquantel 40 mg/Kg e mais efetivo do que oxamniquine 15 mg/Kg em individuos maiores do que 14 anos (Peto OR 3,54, IC 95 por cento I,70, 7,38), mas nenhuma diferenca foi encontrada quando oxamniquine foi comparado com oxamniquine 30 mg/Kg (Peto OR O,29, IC 95 por cento O,08, 1,01) No Brasil, praziquantel foi igualmente efetivo quando comparado em individuos maiores do que 14 anos (Peto OR 1,70, IC 95 por cento O,83, 3,49). O efeito colateral mais serio foi convulsao, sendo observado em dois pacientes que usaram oxamniquine de um total de 372 pacientes. Diarreia e dor abdominal foram levemente mais frequente no grupo praziquantel (dor abdominal: 42 por cento (240/563) comparado com 20 por cento (ll5/571) (OR 2.94, 95 por cento CI 2.27, 3.79); e diarreia 14 por cento (74/536) comparado com 7 por cento (38/544) (OR 2.08, 95 por cento CI 1.41, 3.08). Febre foi mais frequente no grupo usando praziquantel (l,5 por cento (4/267) comparado com O por cento (O/272). (OR 7.61, 95 por cento CI 1.07, 54.36). CONCLUSOES: Infeccao pelo Schistosoma mansoni pode ser tratado com praziquantel e oxamniquine. Nenhuma diferenca significativa estatisticamente em...(au)
Assunto Esquistossomose mansoni
Oxamniquine
Praziquantel
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 106 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 106 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15831

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta