Confirmação da sequência relatada para o inibidor de tripsina de Sechium edule (SETI-IIa) por síntese, e tentativa de conversão do SETI-IIa em inibidor de quimiotripsina por modificação da sequência da alça do seu centro reativo

Confirmação da sequência relatada para o inibidor de tripsina de Sechium edule (SETI-IIa) por síntese, e tentativa de conversão do SETI-IIa em inibidor de quimiotripsina por modificação da sequência da alça do seu centro reativo

Título alternativo Sequence related confirmation for tripsin inhibitor the Sechium edule (SETI-IIa) by synthesis, and conversion attempt to SERI-IIa in chymotripsin by modified in the relative center loop sequence
Autor Faca, Vitor Marcel Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Greene, Lewis Joel Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os inibidores da familia squash sao os menores inibidores de tripsina descritos na literatura, purificados a partir de plantas da familia Cucurbitaceae, contendo de 28 a 31 residuos de aminoacidos por molecula. Estes inibidores apresentam seis residuos de cisteina, formando tres ligacoes dissulfeto em uma unica cadeia, o que confere a molecula uma estrutura muito compacta e rigida. Como em todos os inibidores fortes de tripsina (Ki - 10-10 - IO-11M), existe na superficie da molecula uma alca, denominada alca do centro reativo, responsavel pela maioria das interacoes existentes entre o inibidor e a enzima. A sequencia de aminoacidos desta alca da a espccificidade do inibidor contra a enzima cognata, principalmente na posicao P1, que no caso dos inibidores de tripsina corresponde aos residuos de Lys ou Arg. Dois inibidores de tripsina da famila squash, denominados SETI-HA e SETL-V, extraidos a partir do legume Sechium edule (chuchu), foram isolados e caracterizados quanto a sequencia de aminoacidos em nosso laboratorio, demonstrando alto grau de homologia e similaridade na constante de dissociacao (Ka = lxlO10M-1) com os outros inibidores da familia. Como parte do objetivo geral de produzir um novo inibidor com atividade inibitoria modificada contra enzimas tripsino-similares, o inibidor SETI-IIA foi sintetizado pelo metodo Fmoc, em sintetizador automatico utilizando a resina Fmoc-Gly-TGA. Os residuos de cisteina do inibidor sintetico foram oxidados segundo procedimento padronizado com o inibidor SETI-IIA nativo, obtendo-se um inibidor sintetico com atividade inibitoria de tripsina nos mesmos niveis do inibidor nativo (l,lxlO9M-'). O rendimento global da sintese foi de I,4 por cento , partindo-se de 5Omg (7,5mmol) de resina. Como tentativa de melhoria no rendimento do inibidor sintetico SETI-I[Ia, este foi sintetizado tambem com o seu C-terminal na forma amida, utilizando-se a resina NovasynTGR. O rendimento do inibidor de tripsina foi aumentado para 3,6 por cento , mas a purificacao por cromatografia de fase reversa em HPLC nao foi suficiente para a obtencao de um inibidor homogeneo. Um segundo peptideo, denominado SECI, com modificacoes na sequencia de aminoacidos da alca do centro reativo do inibidor SETI-IIA (de P6 , K7 I,, L', M'0 para T 6 , F 7@ E', Y9, Rio), dirigidas para producao de um inibidor de quimotripsina, foi sintetizado tambem, com C-terminal na forma de carboxila e amida. Este peptideo nao apresentou...(au)
Assunto Inibidores da tripsina
Biossíntese peptídica
Dissulfetos
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 100 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 100 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15845

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta