Uso do adesivo tecidual de fibrina derivado de veneno de serpente e avaliação da técnica de autoenxertia utilizando a pele do sulco nasogeniano

Uso do adesivo tecidual de fibrina derivado de veneno de serpente e avaliação da técnica de autoenxertia utilizando a pele do sulco nasogeniano

Título alternativo The use of fibrin tissue adhesive from snake venom snd evaluation the nasolabial fold donor site for full-thinckness skin graft
Autor Stolf, Hamilton Ometto Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Dillon, Neuza Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O adesivo de fibrina derivado de veneno de serpente mimetiza as reacoes finais do processo da coagulacao. O fibrinogenio de bufalo ao interagir com a fracao trombina-simile extraida do veneno de serpente libera uma fibrina monomerica que na presenca do fator XIII e do calcio torna-se polimerica, a qual age como cola biologica. A acao dessa cola permite a uniao das bordas de feridas e auxilia na hemostasia. No presente trabalho foi avaliada a capacidade de sintese e acao hemostatica desse adesivo na cirurgia cutanea, comparando-a com a sutura com fio monofilamentoso 5-0 e a tecnica utilizada para reparacao de tumores. Foram estudados 21 pacientes caucasianos, portadores de tumor cutaneo na regiao nasal, com idade media de 64 anos de ambos os sexos. Apos a retirada do tumor foi feito o reparo do defeito nasal pelo metodo de autoenxertia, sendo que a pele doadora provinha dos sulcos nasogenianos direito e esquerdo. Para a sintese cutanea do sulco nasogeniano direito utilizou-se o adesivo de fibrina; do esquerdo a sutura. O estudo comparativo das areas doadoras no mesmo paciente, 48 horas apos a cirurgia, mostrou maior eritema e edema no lado sutura e deiscencia em 28,6 por cento no lado cola (teste de Wilcoxon). No setimo pos-operatorio, houve maior eritema e mais irregularidade de contorno da incisao no lado sutura; enquanto no lado cola 33,3 por cento de deiscencia (teste de Wilcoxon). A avaliacao tardia do aspecto geral da cicatriz foi excelente no lado cola e bom no lado sutura. Nao foi detectado nenhum efeito toxico em nivel local ou sistemico. Verificou-se, portanto, que o adesivo de fibrina derivada do veneno de serpente teve capacidade adesiva total em 66,7 por cento e parcial em 33,3 por cento dos pacientes, constituindo-se em um metodo alternativo valioso na cirurgia cutanea
Assunto Adesivo Tecidual de Fibrina
Transplante de Pele
Cirurgia Plástica
Fibrin Tissue Adhesive
Skin Transplantation
Surgery, Plastic
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 103 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 103 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16024

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta