Avaliacao de infeccao do trato urinario no pos-transplante renal em criancas

Avaliacao de infeccao do trato urinario no pos-transplante renal em criancas

Título alternativo Evaluate of urinary tract infection after kidney transplantation in children
Autor Ferreira, Alessandra Conde Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Presente estudo teve como Objetivo avaliar aspectos clinico-laboratoriais as infeccoes do trato urinario (ITU) no pos-transplante renal em criancas. dotamos o estudo caso-controle, analisando-se 62 pacientes (20 casos, 42 controles), dentre 78 criancas submetidas a transplante renal no periodo de marco de 1989 a agosto de 1997. Os casos foram definidos para os pacientes que adquiriram ITU e ou bacteriuria assintormatlca, de etiologia domiciliar ou hospitalar, apos o transplante renal, confirmada por urocultura postiva. Todos os pacientes do estudo, casos e controles receberam antibioticoprofllaxia por um periodo de ate 6 meses apos o transplante, conforme conduta de rotina do servico. OS controles corresponderam aos pacientes que nao apresentaram ITU no periodo compreendido pelo estudo. Os fatores de risco relacionados a ITU avaliados incluiram: sexo, idade, tipo de doador, doenca de base, tempo de tratamento dialitico previo ao transplante, rejeicao cronica, perda do enxerto, funcao renal apos ITU e nivel de imunosssupressao. A ocorrencia de ITU foi identificada em 20/62 (32 por cento) pacientes, observando-se recorrencia em 45 por cento dos casos, sendo que 25 por cento destas corresponderam a reinfeccoes. Em 84 por cento dos casos, as ITU foram assintomaticas. A idade, sexo, tipo de doador e tempo previo em dialise nao influenciaram a ocorrencia de ITU. Em relacao a ITU e doenca de base pre transplante, nao observamos associacao significante, sendo que em ambos os grupos com e sem ITU, foi evidenciada uma maior incidecia de glomerulonefrite seguida por refluxo vesico-uretral. No que se refere ao tempo pos transplante em que a ITU adquirida, obsemou-se frequencia estatisticamente maior no periodo entre 1 e 3 anos (55 por cento dos casos) em comparacao aos demais periodos. Os episodios ITU se distribuiran em 34 por cento dos casos no periodo precoce (primeiros 3 meses) e 66 por cento no periodo tardio (apos os 3 meses). O germe predominantemente isolado foi Escherichia coli (57 por cento ), seja nas ITU precoces (53 por cento ), ou tardias (60 por cento) e tambem nas ITU recorrentes (56 por cento). As ITU de etiologia domiciliar e hospitalar corresponderam respectivamente a 63 por cento e 37 por cento dos episodios, com predominio de Escherichia coli nos 2 grupos. Dentre as complicacoes urologicas associadas a ITU, observou-se fistula urinaria em 2 pacientes com ITU e em, 1 paciente sem ITU...(au)
Assunto Transplante de Rim
Infecções Urinárias
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 77 p. tabgraf.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 77 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16041

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta