Investigacao da relacao entre o desenvolvimento de anticorpos linfocitotoxicos e a ocorrencia de rejeicao aguda em receptores de transplante renal

Investigacao da relacao entre o desenvolvimento de anticorpos linfocitotoxicos e a ocorrencia de rejeicao aguda em receptores de transplante renal

Título alternativo Investigation of the relation between the development of lymphocytotoxic antibodies and the occurence of acute rejection in kidney transplantation receptors
Autor Torrecilhas, Ana Claudia Trocoli Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo do trabalho foi investigar a relacao entre o desenvolvimento de anticorpos linfocitotoxicos (Ac) apos o transplante (Tx) e a ocorrencia de rejeicao aguda (RA) em receptores de enxerto renal (R). Amostras seriadas de soro, colhidas durante os seis primeiros meses (m) pos-Tx de 105 R (lO com doador HLA-identico e 95 com doador nao HLA-identico), foram avaliadas quanto ao aumento da reatividade contra painel de linfocitos (PRA) em relacao a amostra pre-transplante e ao desenvolvimento de prova-cruzada (PC) positiva contra linfocitos do doador. Estes testes foram realizados com o metodo de citotoxicidade dependente de complemento (CDC), empregando-se as tecnicas classica (CDC-NIH), sensibilizada com polietileno glicol (CDC-PEG) e com anti-globulina humana (CDC-AGH), esta ultima so utilizada na PC. A distincao entre Ac IgG e IgM foi realizada tratando-se o soro com ditiotreitol (DTT). Os resultados permitiram as seguintes conclusoes: a producao de Ac lgM e um fenomeno frequente no pos-transplante e nao esta associada com rejeicao; a producao de Ac lgG anti-HLA classe I associa-se com RA tipo li, porem nao com RA tipo IA ou RA nao confirmada por biopsia. Em relacao a associacao com RA tipo li, os testes empregados apresentaram os seguintes graus de sensibilidade e especificidade: PRA-DTT-NIH: 42 e 94 por cento , respectivamente; PRA DTT-PEG: 58 e 84 por cento , respectivamente; PC-CDC-AGH: 25 e 98 por cento , respectivamente; PC-CDCDTT-PEG: 25 e 96 por cento , respectivamente. A incidencia de RA tipo li nos seis primeiros meses pos-Tx considerando-se a amostra total de R com doador nao HLA-identico foi 12,6 por cento , enquanto que a mesma foi 50, 35, 75 e 60 por cento entre os R que apresentaram aumento do PRA-DTT-NIH, do PRA-DTT-PEG, PC-CDC-AGH positiva e PC-CDC-DTT-PEG positiva, respectivamente. Considerando os 7 R que apresentaram RA tipo 11 e producao de Ac lgG (aumento do PRA), a deteccao dos Ac precedeu ou coincidiu com o diagnostico de RA em 86 por cento dos casos; considerando todos os 12 R que apresentaram RA tipo li, o aumento da producao de Ac lgG precedeu o diagnostico de RA em 50 por cento dos casos. A funcao renal aos 12 meses pos-transplante (niveis de creatinina serica) em R que nao apresentaram RA tipo li, nao diferiu entre os R que produziram ou nao Ac lgG. A evolucao do transplante em R que apresentaram RA tipo 11 foi muito ruim, com apenas 42 por cento de sobrevida do enxerto aos 12 meses, independentemente ...(au)
Assunto Soro Antilinfocitário
Rejeição de Enxerto
Transplante de Rim
Idioma Português
Data 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 100 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 100 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16169

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta