Avaliação da resposta terapêutica a três diferentes esquemas antiretrovirais em portadores de HIV-1 sem tratamento prévio e com deterioração imunológica, considerando características genéticas do hospedeiro e virais

Avaliação da resposta terapêutica a três diferentes esquemas antiretrovirais em portadores de HIV-1 sem tratamento prévio e com deterioração imunológica, considerando características genéticas do hospedeiro e virais

Título alternativo Assessment of the therapeutic response of three different antiretroviral regimens in HIV-1 previously untreated immunodeficient patients, considering the host and viral genetic characteristics
Autor Accetturi, Conceicao Aparecida Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lewi, David Salomao Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A Sindrome da lmunodeficiência Adquirida (Aids) vem acometendo milhoes de individuos em todo o mundo, caracterizando uma grave pandemia, ainda incontrolavel. Inumeros sao os esforcos mundiais para melhor se conhecer a fisiopatogenia e a historia natural da infeccao pelo Virus da lmunodefiCiência Humana (HIV), em seus varios aspectos. Nao sabemos ainda por que motivo alguns individuos sao constantemente expostos ao HIV e nao se infectam, assim como nao sabemos porque diferentes individuos infectados evoluem de formas distintas, mesmo quando a fonte de infeccao e a mesma. Fatores proprios do hospedeiro parecem contribuir para as diferencas verificadas na infectividade e evolucao clinica da infeccao. Estudos recentes demonstraram que individuos que sao homozigotos para a mutacao s32 no gene que codifica o receptor de quimoquinas CCR5 (CCR5s32/s32) sao altamente resistentes a infeccao pelo HIV-1, e os heterozigotos para o alelo mutante progridem mais lentamente para a doenca, quando comparados aos homozigotos para a normalidade. Tambem a presenca do alelo mutante CCR2-64I no gene que codifica o receptor de quimoquinas CCR2 foi associada com progressao mais lenta para a doenca. Para avaliar a correlacao entre a diversidade genetica dos genes que codificam os receptores de quimoquinas CCR5 e CCR2 em pacientes infectados pelo HIV-1 e a resposta terapeutica a diferentes esquemas antiretrovirais, assim como a participacao do subtipo genetico do HIV-1 envolvido, estudamos prospectivamente, entre abril de 1995 e maio de 1997, 177 pacientes portadores de HIV-1 virgens de tratamento antiretroviral, todos com defiCiência de imunidade celular medida pela contagem de linfocitos T CD4+ menor que 350 celula/mm3. Os pacientes foram randomizados de forma cega para receber um de tres esquemas terapeuticas especificos para infeccao por HIV-1, sendo que 33 por cento foi alocado no grupo l para receber terapia dupla IDV + AZT; 35 por cento no grupo 2, para receber monoterapia com IDV; e 32 por cento no grupo 3, para receber monoterapia com AZT. Uma vez que o estudo se iniciou em abril de 1995, tais esquemas terapeuticas, incluindo monoterapias, eram aceitos pela comunidade cientifica. No entanto, a partir de maio de 1996, apos a divulgacao de informacoes que aboliam a monoterapia com analogos nucleosideos como opcao terapeutica eficaz, fomos obrigados a, ainda de forma cega, incluir um segundo analogo nucleosideo ...(au)
Assunto Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
HIV
Receptores de quimiocinas
Idioma Português
Data 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 112 p. ilus., tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 112 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16171

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta