Estado nutricional, indicadores de ferro corporal e absorcao intestinal de ferro em criancas portadoras de doenca hepatica cronica com colestase e sem colestase

Estado nutricional, indicadores de ferro corporal e absorcao intestinal de ferro em criancas portadoras de doenca hepatica cronica com colestase e sem colestase

Título alternativo Nutritional status, body iron markers and intestinal iron absorption in children with chronic hepatic disease with and without colestasis
Autor Mattar, Regina Helena Guedes da Motta Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Foram avaliados o estado nutricional, a inGestão alimentar, a correlacao entre a inGestão alimentar e o nivel de zinco serico, a ocorrencia de anemia, os indicadores de ferro corporal e a absorcao intestinal de ferro em 25 criancas portadoras de doenca hepatica cronica, que nao apresentavam sinais de descompensacao da funcao hepatica ou infeccao, sendo 17 com atresia de vias biliares extrahepatica (11 do sexo feminino e 6 do sexo masculino), 3 com colestase intrahepatica progressiva familiar (sindrome de Byler), l de defiCiência de alfa1-antitripsina, l de doenca hepatica cronica consequente a histiocitose e 3 com doenca hepatica cronica sem diagnostico etiologico definido. A idade dos pacientes variou de 6,5 a 146,0 meses, com mediana igual a 21,9 meses. Os pacientes foram divididos em 2 grupos: 14 pacientes com colestase e 11 pacientes sem colestase. Observou-se prevalencia de 60 por cento de desnutricao energetico-proteica, segundo o criterio de Waterlow, nos 25 pacientes estudados, sendo estatisticamente mais frequente nos pacientes com colestase (78,57 por cento ) do que nos sem colestase (36,36 por cento ) (p=O,O49*). O grau da desnutricao foi maior nos pacientes com colestase (escore z de P/1=-2,5; P/E=-0,85 e E/I=-3,08) do que no grupo sem colestase(escore Z P/I= -O,65; P/E= -O,04 e E/I=-0,69), com diferencas estatisticamente significante (p<O,OO5). O deficit de estatura para a idade e de peso para a idade foram mais intensos e frequentes do que o deficit de peso para estatura. As reservas de gordura, estimadas atraves da prega triceptal, foram menores em pacientes com colestase (mediana de escore Z= -l,9) do que sem colestase (mediana de escore Z =-0,43), sendo esta diferenca estatisticamente significante (p=<0,001*). As reservas proteicas, estimadas pela area muscular do braco, tambem foram diminuidas em pacientes com colestase (mediana de escore Z= -l,l9) e nos sem colestase (mediana de escore Z= -O,93), sem diferencas significante (p=O,286). Baseado na avaliacao do registro alimentar de 72 horas, observou-se que os pacientes com colestase apresentaram inGestão energetica maior (mediana de 117,44 por cento do RDA) do que os sem colestase (mediana de 71,87 por cento ), com diferenca significante (p=O,Ol3*). Em ambos os grupos observou-se dieta pobre em ferro (57 por cento do RDA nos com colestase e 70 por cento nos sem colestase). Diminuicao nos niveis de zinco serico foi encontrado em 7 pacientes com colestase (58,33 por cento...(au)
Assunto Hepatopatias
Doença Crônica
Estado Nutricional
Ferro
Anemia Ferropriva
Absorção Intestinal
Idioma Português
Data 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 128 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 128 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16188

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta