Avaliacao da capacidade fisica e qualidade e vida em pacientes com doenca pulmonar obstrutiva cronica apos programa de reabilitacao pulmonar

Avaliacao da capacidade fisica e qualidade e vida em pacientes com doenca pulmonar obstrutiva cronica apos programa de reabilitacao pulmonar

Título alternativo Evaluation of physical capacity and quality of life in patients with chronic obstrutive pulmonary disease after rehabilitation program
Autor Almeida, Patricia Salerno de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: Dispneia aos esforcos associada a doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) tem levado ao desenvolvimento de programas de reabilitacao pulmonar que visam aumentar a capacidade fisica e melhorar a qualidade de vida. Objetivo: Avaliar em pacientes com DPOC as mudancas na capacidade fisica e na qualidade de vida apos programa de reabilitacao pulmonar. Materiais e metodo: Foram estudados 23 pacientes com DPOC(seis com estadio I da doenca, oito estadio II e nove estadio III) , sendo duas mulheres e vinte e um homens. Antes de iniciar o programa de reabilitacao pulmonar (PRP), os pacientes foram submetidos a avaliacao clinica e antropometrica, espirometria, gasometria arterial e teste de exercicio cardiopulmonar maximo limitado por sintomas. Antes e apos o PRP foram realizados o teste da caminhada de seis minutos, o teste de endurance e o incremental de membros inferiores, realizados em esteira para avaliacao da capacidade fisica e, para avaliar a qualidade de vida, foi aplicado o St. George's Respiratory Questionnaire. Como parte do programa, os pacientes foram submetidos a treinamento supervisionado de membros superiores e inferiores com a frequencia cardiaca alvo no nivel de limiar anaerobio (FCLA). Nos pacientes que, por problemas ventilatorios, nao atingiram a FCLA, o treinamento foi realizado na carga correspondente a 80 por cento da FC maxima atingida no teste de esforco. Resultados: Onze pacientes (48O/o) apresentaram melhora na capacidade fisica e qualidade de vida, quatro (l7 por cento) melhoraram a capacidade fisica mas nao a qualidade de vida; sete (l7 por cento) pacientes apresentaram melhora apenas na qualidade de vida e um unico paciente nao obteve ganhos com o programa de reabilitacao pulmonar. Verificamos que nao houve diferenca significante em relacao a media de idade do grupo que melhorou a capacidade fisica (grupo I) e o grupo que nao melhorou a capacidade fisica (grupo II) (grupo I, n=l5, idade=65,0n10 e grupo II, n=8, idade=66,6n10,5 p<O,O5), bem como para os valores medios de VEF1 e por centoVEF1 (grupo I, VEF1 = I,1n0,4 com por centoVEF1= 41,1n17,2 e grupo II VEF1 = 10,1n0,7 com por cento VEF1 =37,8n11,2 p<O,O5). A media da pressao arterial de oxigenio no sangue foi significativamente menor no grupo II que no grupo I (grupo I= 70,5n11,5 e grupo II =58,6 n11,5 p<O,O5) e a pressao de gas carbonico medio no sangue arterial foi significativamente maior no grupo II que no grupo I (grupo I=37,5n4,8 e grupo H=44,4n...(au)
Assunto Pneumopatias Obstrutivas/reabilitação
Qualidade de Vida
Tolerância ao Exercício
Idioma Português
Data 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 79 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 79 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16375

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta