Utilização de recursos e custos em pacientes com osteoporose

Utilização de recursos e custos em pacientes com osteoporose

Título alternativo Resource utilization and costs in osteoporosis
Autor Kowalski, Sergio Candido Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferraz, Marcos Bosi Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução A osteoporose e uma doenca que tem despertado grande interesse em Saúde Publica. Com o crescimento e envelhecimento da populacao mundial, o numero de pessoas idosas que se encontram na faixa de risco para fraturas e mesmo a incidencia idade-especifica estao aumentando consideravelmente. Os paises do primeiro mundo despertam para iniciativas que visam racionalizar a alocacao dos recursos destinados ao atendimento das pacientes com osteoporose. Como no Brasil nao existem estudos que avaliem a incidencia nem custos em osteoporose, o presente trabalho objetivou dimensionar a utilizacao de recursos e custos em pacientes com osteoporose pos-menopausa atendidas no ambulatorio de Reumatologia/ Osteoporose da Universidade Federal de São Paulo. PACIENTES E METODOS Cem pacientes foram analisados, consecutivamente, a partir da lista de agendamento das consultas. Os criterios de Inclusao foram: a) mulheres com diagnostico de osteoporose pos-menopausa (OMS, 1994) ha pelo menos um ano, ou seja, aquelas cuja densitometria ossea apresentasse mais de 2,5 desvios-padrao abaixo da media de mulheres jovens; b) pelo menos um ano de acompanhamento no ambulatorio de Osteoporose-Doencas Osteometabolicas/Disciplina de Reumatologia/HSP-EPM, retroativo a data da entrevista; c) consentimento verbal de participacao no estudo, apos a apresentacao dos objetivos pelo entrevistador; d) minimas condicoes de entendimento e expressao verbal para responder aos questionarios. Os custos unitarios dos recursos utilizados basearam-se na Tabela SUS de agosto de 1998. RESULTADOS - A populacao de mulheres com osteoporose pos-menopausa estudada tinha em media 65,85 anos de idade, 21 por cento ainda estavam trabalhando e tinham renda familiar media mensal de R$ 534,14. O tempo medio de diagnostico foi de 4,41 anos e o de menopausa foi de 18,79 anos. As pacientes realizaram em media 7 consultas medicas por ano. 96 por cento tinham pelo menos uma doenca associada a osteoporose. Foram realizadas em media O,85 densitometrias osseas por paciente por ano. 32 por cento das pacientes apresentavam alguma dificuldade para realizar atividades domesticas, porem somente 5 por cento contrataram servicos para auxiliar nestas tarefas. 42 por cento das pacientes ja haviam sofrido pelo menos uma fratura por osteoporose, caracterizando um grupo de risco para novas fraturas. 77 por cento das pacientes usaram calcio e 38 por cento estrogenos em algum periodo do estudo, valores acima dos...(au)
Assunto Osteoporose
Análise custo-benefício
Idioma Português
Data 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 101 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 101 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16532

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta