Prevalência de resistência genotípica primária aos antiretrovirais em indivíduos recém-infectados pelo HIV-1: análise do polimorfismo do gene pol

Prevalência de resistência genotípica primária aos antiretrovirais em indivíduos recém-infectados pelo HIV-1: análise do polimorfismo do gene pol

Título alternativo Prevalence and primary resistence in antiretroviral in patients infected by HIV-l: analysis of polymorphism in pol gene
Autor Machado, Daisy Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Succi, Regina Célia de Menezes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Devido ao crescente uso de drogas antiretrovirais no tratamento da infeccao pelo HIV-1, a transmissao de cepas resistentes tem sido motivo de grande preocupacao e considerada um possivel empecilho ao controle da epidemia. Neste estudo, a presenca de mutacoes relacionadas a resistencia aos inibidores das enzimas transcriptase reversa (RT) e protease (PT) foi avaliada em 31 doadores de sangue recem-infectados pelo HIV-1 e virgens de tratamento. A caracterizacao dos individuos como portadores de infeccao recente (menos de 120 dias) foi realizada atraves do Less-sensitive Assay (LS-EIA). Sequencias geneticas de RT e PT dos 31 individuos foram obtidas e a analise dos resultados mostrou, na regiao da transcriptase reversa, as mutacoes de resistencia K7OR (zidovudina) e VlO8I (nevirapina) (2/31; 6,5 por cento). Dois polimorfismos que facilitam resistencia a combinacao ZDV+ 3TC foram vistos( R2llK e L2l4F) em 12/31 (38,7 por cento) e 29/31 (93,54 por cento) individuos, respectivamente. Na regiao da protease, encontrou-se apenas uma mutacao principal de resistencia, a M46I (ll3l; 3,22 por cento), e varias mutacoes consideradas acessorias: LlOI (3/31; 9,67 por cento), M36I (4/31; 12,9 por cento), L63P (l2/3l; 38,71 por cento), e a V77I (6/31; 19,35 por cento). A prevalencia de mutacoes acessorias foi de 80,64 por cento (25/31), mas todos os individuos, com excecao de um, apresentaram apenas uma ou duas mutacoes acessorias simultaneamente. A importancia de conhecer-se o perfil de resistencia primaria de diferentes populacoes reside na possibilidade de escolha de esquemas mais apropriados como terapeutica na infeccao primaria, no desenho de novas drogas antiretrovirais, assim como na decisao quanto a necessidade do uso de testes de genotipagem anteriores ao inicio do tratamento
Assunto Infecção
HIV-1
Genes pol
Polimorfismo genético
Idioma Português
Data 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 121 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 121 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16538

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta