Estudo do sistema do complemento e anticorpos anti-DNA em tempos precoces do tratamento imunossupressivo fo lupus eritematoso sistemico

Estudo do sistema do complemento e anticorpos anti-DNA em tempos precoces do tratamento imunossupressivo fo lupus eritematoso sistemico

Título alternativo Study of the complement system and anti-DNA antibodies in early time immunossupressive treatment of systemic lupus erythematosus
Autor Silva, Cristina Ferreira e Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O presente trabalho se propos a avaliar o comportamento longitudinal dos niveis sericos de anticorpos anti-DNA e componentes do sistema do complemento em tempos precoces do tratamento imunossupressivo de pacientes com Lupus Eritematoso Sistemico (LES). Para tal, foram admitidos 20 pacientes com LES em atividade franca do sistema nervoso central ou nefrite ativa ou SLEDAI>16. Tais pacientes foram inicialmente submetidos a pulsoterapia com imunossupressor (metilprednisolona e/ou ciclofosfamida) e/ou prednisona oral em dosagem >l mg/kg/dia de acordo com a decisao do clinico que os acompanhassem. Foram obtidas amostras de sangue nos dias O, 7, 15, 30 e 60 a partir do inicio do tratamento, sendo que nos dias O, 30 e 60 foi feita tambem uma avaliacao clinica completa e determinacao de proteinuria de 24 horas, creatininemia e analise do sedimento urinario. Os pacientes foram classificados como melhora, quando havia diminuicao de pelo menos SO por cento no valor de um ou mais dos seguintes parametros: proteinuria, hematuria, creatinina serica e SLEDAI, sem que houvesse aumento >50 por cento nos demais. Caso qualquer desses parametros aumentasse >50 por cento, pelo menos outros dois deveriam diminuir >50 por cento para que se considerasse melhora. As demais situacoes foram consideradas como nao melhora. As amostras de soro foram imediatamente congeladas a -7OºC. Anticorpos anti-DNA nativo e desnaturado foram dosados em duplicata por ELISA. C3 e C4 foram determinados por imunodifusao radial. CH5O e C2 foram dosados por imunohemolise radial. Apos 30 dias de tratamento, 13 pacientes foram classificados como melhora e 7 como nao melhora. Aos 60 dias, 8 foram classificados como melhora e 11 como nao melhora (l caso de desistencia). Alguns pacientes mudaram de classificacao entre os tempos T3O e T6O. Para o grupo como um todo, os niveis de anticorpos anti-DNA foram os parametros que mais precocemente se alteraram, seguidos por C3, mostrando variacoes significantes ja na primeira semana e primeira quinzena, respectivamente. C4 apresentou variacao significante mais tardiamente nos intervalos TO-T3O e Tl S-T3O. C2 nao sofreu alteracao estatisticamente significante. Na analise individual, observou-se consideravel heterogeneidade no comportamento dos diversos parametros. Por exemplo, em um dado individuo, observou-se normalizacao de C3 e CH5O mas nao se alteraram os niveis de C4 e C2. Da mesma forma observou-se discrepancias no comportamento de ...(au)
Assunto Proteínas do Sistema Complemento
Anticorpos Antinucleares
Lúpus Eritematoso Sistêmico/terapia
Seguimentos
Idioma Português
Data 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 135 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 135 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16567

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta