Avaliação do perfil de sensibilidade e caracterização de Enterococcus spp. isolados em hospitais da América Latina

Avaliação do perfil de sensibilidade e caracterização de Enterococcus spp. isolados em hospitais da América Latina

Título alternativo Antimicrobial susceptibility profile and molecular characterization of Enterococcus spp. isolated in Latin American
Autor Cereda, Rosangela Ferraz Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sader, Helio Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A vigilancia de microrganismos multi-resistentes tem sido incentivada com o intuito de impedir a disseminacao da resistencia bacteriana aos antimicrobianos. Como o perfil de sensibilidade antimicrobiana pode variar de acordo com a regiao geografica, foi conduzido um estudo de vigilancia entre quatro paises (l 5 centros medicos), com o objetivo de caracterizar melhor as amostras de enterococos da America Latina e avaliar o modo de disseminacao de enterococos resistentes a vancomicina (ERV) nessa regiao. Foram analisadas 436 amostras clinicas de enterococos, coletadas em 1998 e 1999. Estas amostras foram submetidas a testes de sensibilidade para vancomicina, teicoplanina, ampicilina, gentamicina, estreptomicina, ciprofloxacina, cloranfenicol, doxiciclina e um novo antimicrobiano, quinupristindaifopristin (Synercid©). Inicialmente, foram testadas 188 amostras pelo metodo de micro-diluicao em caldo (Brasil) e 248 amostras pelo metodo de difusao com discos (Argentina, Chile e Venezuela). Os enterococos que demonstraram sensibilidade diminuida a vancomicina e/ou quinupristindalfopristin, foram re-testados pelo metodo de micro-diluicao em caldo (padrao ouro) e E-test©, e novamente identificados atraves dos metodos bioquimicas convencionais. A pesquisa dos genes de resistencia a vancomicina (vanA, vanB, vanC1, vanC2-3 ) e a quinupristin-daifopristin (satA e satG) foi realizada atraves do metodo de reacao em cadeia da polimerase (PCR), e a avaliacao do modo de disseminacao desta resistencia foi feita por eletroforese pulsada em gel de agarose (PFGE). A ampicilina inibiu o crescimento de lOO por cento dos E. faecalis isolados no Brasil e 97 por cento dos isolados nos demais paises. Entretanto, 31 por cento das amostras de E. faecium foram resistentes a ampicilina. A resistencia a vancomicina foi confirmada em 16 amostras de enterococos (3,7 por cento), sendo 14 amostras de E. faecium e duas amostras de E. faecalis. Apenas duas destas amostras de E. faecium foram isolados na Argentina; as demais amostras foram isoladas em diferentes hospitais brasileiros (todos na cidade de São Paulo). As amostras de ERVs resistentes a vancomicina apresentaram fenotipo VanA e gene vanA, com excecao de uma unica amostra isolada em Curitiba (Brasil), na qual nao foi detectado nenhum gene de resistencia. A resistencia a quinupristin-dalfopristin no Brasil nao esta relacionada aos principais genes (satA e satG) descritos para esse tipo de resistencia em ...(au)
Assunto Enterococcus
América Latina
Vancomicina
Idioma Português
Data 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 120 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 120 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16594

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta