Estudos enzimaticos e imunologicos do dominio catalitico da trans-sialidase de Trypanosoma cruzi

Estudos enzimaticos e imunologicos do dominio catalitico da trans-sialidase de Trypanosoma cruzi

Título alternativo Enzimatic and immnologic studies of the catalytic domain of Trypanosoma cruzi trans-sialidase
Autor Ribeirao, Marcelo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A forma infectiva do Trypanosoma cruzi, o parasita causador da doenca de Chagas, nao sintetiza acido sialico, mas expressa em sua superficie a trans-sialidase (TS) que catalisa transferencia do acido sialico ligado por (a(2-3) a glicoconjugados do hospedeiro para residuos de b-galactosil na superficie do parasita. Neste estudo geramos e purificamos uma proteina recombinante bacteriana contendo o dominio catalitico da TS. Esta proteina recombinante nos permitiu estuda algumas propriedades basicas da cinetica da reacao de trans-glicosilacao e a resposta imune humana e murina contra a TS de T. cruzi. Encontramos que a TS recombinante possui um cinetica sequencial para a reacao de trans-glicosilacao. A velocidade de transferencia de acido sialico para a agua (hidrolise) e residuos de o galactosil possuem um comportamento unico com respeito a temperatura de reacao. Enquanto a trans-glicosilacao foi maxima ao redor de l3§C, a velocidade de hidrolise aumentou ate temperaturas superiores a 35§C. Alem disso, nossos resultados indicam que essas diferencas na temperatura otima de hidrolise e trans-glicosilacao sao devidas principalmente a ligacao diferencial do aceptor a enzima. Nossos resultados forneceram evidencias que a trans-glicosilacao e favorecida pelo fato da TS possuir um sitio de ligacao para os residuos de b-galactosil. Com o aumento da temperatura, a afinidade da enzima pelo aceptor diminui, com concomitante aumento na velocidade de transferencia do acido sialico para a agua. A elevadas temperaturas, a velocidade de transferencia para a b-galactosil pode ser favorecida pelo aumento da concentracao do aceptor. A obtencao em larga escala da TS recombinante possibilitou estudar a imunidade naturalmente adquirida de individuos cronicamente infectados e compara-la com a imunidade gerada pela vacinacao genetica em modelos experimentais. A resposta imune celular foi estimada pela proliferacao in vitro e producao de interferon-g (IFN-g), IL-4 e IL-10 por celulas mononucleares do sangue periferico humano (CMSP) em resposta a proteina recombinante. Encontramos que CMSP de 78,6 por cento dos pacientes chagasicos proliferaram quando cultivadas em presenca da TS recombinante. Mais relevante foi o fato de que CMSP de 88 por cento dos pacientes chagasicos produziram IFN-g apos estimulacao com a proteina recombinante. Em contraste, IL-4 e IL-10 foram minimamente produzidas em resposta a TS. A resposta imune celular foi especifica porque a ...(au)
Assunto Trypanosoma cruzi
Doença de Chagas
Imunidade
Vacinas
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 107 p. ilus.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16616

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta