Avaliação da ação mecânica de corações isolados de ratas antes e após retirada da cicatriz fibrosa de infarto experimental do miocárdio

Avaliação da ação mecânica de corações isolados de ratas antes e após retirada da cicatriz fibrosa de infarto experimental do miocárdio

Título alternativo Cardiac mechanics oif isolated isovolumic rat heart before and after removal if fibrous scar from experimental myocardial infarction
Autor Kanashiro-Takeuchi, Rosimeire Miyuki Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Tucci, Paulo José Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este trabalho foi conduzido com o proposito de analisar as modificacoes promovidas pela retirada da cicatriz fibrosa (infartectomia) de lnfarto do Miocardio provocado em ratas na acao mecanica do coracao isolado. Ratas Wistar-EPM foram submetidas a, oclusao da arteria interventrical anterior e a exame ecodopplercardiografico (ECO) cinco semanas apos. Onze retas em que o tamanho do Infarto do Miocardio (IM) foi identificado como envolvendo mais de 40 por cento da circunferencia endocardica do ventriculo esquerdo (VE) foram selecionadas para o estudo. Uma semana apos o ECO, as ratas foram anestesiadas e o coracao foi extraido para avaliacoes funcionais em preparacao de coracao isolado que contraia isovolumetricamente pela colocacao de um balao de latex no interior do VE. Os coracoes de dez ratas normais foram estudados como Controle (C). O protocolo experimental incluiu a determinacao do volume de liquido no interior do VE quando a pressao de repouso (Pr) ventricular era igual a zero (Vo) e sucessivos incrementos de O,02 ml do volume ventricular, ate que a Pr, atingisse valor de 60 mmHg. A cada dilatacao ventricular aguardava-se um minuto para que novo equilibrio funcional fosse alcancado e procedia-se ao registro das variaveis: pressao intraventricular e sua primeira derivada temporal. Nos coracoes infartados, os dados eram obtidos na situacao em que a cicatriz fibrosa fazia parte da cavidade ventricular (÷antes), o balao intraventricular era retirado do interior do VE, executava-se a infartectomia, por plicatura da cicatriz com fio Prolene 6-0 ancorado em pledget, e procedia-se ao registro das variaveis em outra sequencia de dilatacoes ventriculares (÷depois). Terminadas as avaliacoes funcionais, os coracoes eram retirados da canula e preparados para pesagem da 'massa muscular do VE. Para a avaliacao funcional do coracao, foram analisadas as seguintes variaveis: 1) pressao de repouso (Pr); 2) pressao desenvolvida maxima (PDmax): maior valor da diferenca entre as pressoes sistolica e diastolica; 3) maior valor positivo (dP/dtmax) e negativo (dP/min) da primeira derivada temporal da pressao ventricular; 4) complacencia ventricular: relacoes entre as Pr, e os respectivos volumes ventriculares. Foram determinadas as tangentes as curvas nos valores de Pr iguais a S e 30 mmHg; 5) as forcas parietais (F) foram calculadas por meio da formula F = P 2 x 7rRi @ sendo RI calculado pelas informacoes relativas ao volume ventricular...(au)
Assunto Coração
Infarto do miocárdio
Testes de função cardíaca
Contrapulsação
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 98 p. ilustabgraf.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 98 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16702

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta