Morbidade e mortalidade de pacientes em inicio de dialise

Morbidade e mortalidade de pacientes em inicio de dialise

Título alternativo Morbity and mortality in patients early stages of dialysis program
Autor Gunji, Clara Kimiyo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A InsufiCiência Renal Cronica Terminal (IRCT) refere-se a um diagnostico sindromico de perda progressiva e irreversivel da funcao renal. Quando diagnosticada a IRCT e necessario a instalacao de tratamento dialitico ou transplante renal. Durante o tratamento dialitico a morbidade e a mortalidade dos pacientes e elevada. O Hospital São Paulo (HSP) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e uma instituicao publica, de ensino e de referencia que recebe pacientes de varias regioes do pais que chegam ao pronto socorro, na maioria das vezes, em urgencia dialitica. Como as caracteristicas socio-demograficas, as causas de morbidade e mortalidade sao desconhecidas nesta populacao em inicio de dialise, ficamos motivados para realizacao deste estudo, que tem como objetivos Identificar a morbidade e causas de mortalidade dos pacientes em inicio de dialise; - analisar se as variaveis pessoais, as referentes a morbidade, os resultados dos exames laboratoriais, numero de dias de internacao e numero de sessoes de dialise sao fatores de risco para mortalidade. No periodo de janeiro a julho de 1998, foram incluidos no estudo 102 pacientes que iniciaram tratamento dialitico no HSP da UNIFESP. Foi realizado um registro prospectivo com dados pessoais dos pacientes, tipo de dialise e de acesso vascular, tempo de dialise, numero de sessoes, exames laboratoriais, morbidade associada, destino e causa de obito. Os pacientes foram acompanhados desde a internacao ate a alta. A mediana de idade dos pacientes foi de 45 anos (l8 a 80). O nivel de instrucao (84,0 por cento tinham apenas o primeiro grau incompleto) e a renda familiar (Mi=R$ 120,00) mostraram-se baixos na maioria da populacao deste estudo. Quanto a procedencia, 67,7 por cento eram da regiao Sudeste, 31,3 por cento do Nordeste e 2,0 por cento de outras regioes. A maioria (82,2 por cento) dos pacientes chegaram ao pronto socorro sem tratamento anterior. A media dos resultados dos exames laboratoriais mostraram alteracoes significativas (U=167,85; C=9,6; K=4,9; Hb=7,89; Htc=24,78; alb=3,9) e 25/102 tinham sorologia positiva no inicio da dialise, a maioria HCV (n=l7). A hipertensao e a infeccao constituem a morbidade que prevaleceu em 58,8 por cento entre os pacientes estudados. O sitio de infeccao mais frequente em 60/102 dos pacientes foi a corrente sanguinea, geralmente relacionada ao cateter venosa central (CVC) para hemodialise (HD). Em relacao ao destino: 70 (68,7 por cento)...(au)
Assunto Diálise
Morbidade
Mortalidade
Infecção
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 62 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 62 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16741

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta