Análise crítica da equação de referência de distância percorrida no teste da caminhada de seis minutos em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica

Análise crítica da equação de referência de distância percorrida no teste da caminhada de seis minutos em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica

Título alternativo The critical analyses of the equation for the estimative of 6-minutr walking test distance when applied for patients with chronic obstructive pulmonary disease
Autor Mayer, Anamaria Fleig Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Jardim, José Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: O teste da caminhada de seis minutos e uma avaliacao simples e amplamente utilizada da performance fisica de pacientes com DPOC. Existem valores de referencia para individuos normais, baseados em sexo, idade, peso e altura, que, no entanto, nao foram testados para serem utilizados como referencia de distancia caminhada para pacientes com DPOC. Objetivos: Analisar se a equacao proposta por Enright & Sherrill 5 para individuos normais e capaz de fornecer valores de referencia de normalidade para distancia percorrida em teste da caminhada de seis minutos com acompanhamento, para pacientes portadores de doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC); testar um conjunto de variaveis, em modelo de regressao multipla, para determinar o desempenho no teste da caminhada de seis minutos. Casuistica e Metodos: Foram estudados 59 pacientes adultos portadores de DPOC, pre-reabilitacao pulmonar, sendo 54 do sexo masculino, com media de idade de 66,2 n 8,7 anos. Todos os pacientes foram submetidos a avaliacao antropometrica, espirometria, gasometria arterial, medida das pressoes respiratorias maximas e dois testes da caminhada de seis minutos com acompanhamento. Utilizamos a analise de regressao linear univariada e multivariada para correlacionar a distancia percorrida no teste da caminhada com o conjunto de variaveis independentes selecionadas das avaliacoes. Resultados: Os pacientes apresentavam obstrucao moderada (VEF, 47,9 16,5 por cento), eram eutroficos (IMC 24,3 + 4,6), normoxicos e normocapnicos. A distancia do segundo teste da caminhada foi estatisticamente maior que a do primeiro teste (452,4 + 120,0 e 482,8 + 120,5, respectivamente; p=O,O3). A subdivisao da amostra em nao grave (VEF,>40 por cento) e grave (VEF,<40 por cento) mostrou que a distancia do segundo teste so foi maior no grupo grave (431,4 + 138,4 e 483,8 + 92,5, respectivamente; p=O,Ol). Nao houve diferenca estatisticamente significante entre a distancia estimada pela equacao de individuos normais e a distancia percorrida no teste da caminhada para o grupo total de 59 pacientes com DPOC. Para a amostra de pacientes nao graves, a distancia estimada foi menor que a distancia percorrida (475,1 + 55,0 e 501,2 + 88,6, respectivamente; p=O,O4), enquanto no grupo grave ela foi maior (539,8 n 73,2 e 497,4 + 77,5, respectivamente; p=O,O2). Para os pacientes nao graves, o modelo de regressao linear multipla selecionou as variaveis CVF, PEmax e SpO2 de repouso, que explicaram 52,5 por ...(au)
Assunto Avaliação
Pneumopatias obstrutivas
Tolerância ao exercício
Avaliação da deficiência
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 80 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 80 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16777

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta