Efeito do enalapril na proteolise glomerular de ratos com diabetes induzido por estreptozotocina

Efeito do enalapril na proteolise glomerular de ratos com diabetes induzido por estreptozotocina

Título alternativo Effect of enalapril on the glomerular proteolysis of rats with streptozotocin-induced diabetes
Autor Oliveira, Mauro Dirlando Conte de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A lesao tipica da nefropatia diabetica e a expansao mesangial cuja extensao leva a perda da superficie filtrante e a declinio da funcao renal. Reducao da proteolise da matriz extracelular pode representar um importante mecanismo neste acumulo patologico de matriz. lnibidores da enzima conversara podem retardar a progressao da nefropatia diabetica, o que tem sido atribuido a sua capacidade de reduzir a pressao hidraulica no capilar glomerular. A proposta da presente investigacao foi avaliar se essa renoprotecao esta ligada ao aumento da proteolise glomerular e se o efeito hemodinamico intra-renal desta droga esta envolvido. Com esta finalidade, apos medida da pressao arterial de cauda, diabetes mellitus foi induzido em ratos Wistar por injecao de estreptozotocina. Os animais foram, entao, randomizados para receber por gavagem levodopa, que suprime a hiperfiltracao glomerular, enalaptil, as duas drogas ou nenhum tratamento. Com 8 semanas de diabetes, a pressao arterial foi novamente aferida e os animais sacrificados para estudo. Os glomerulos de cada rato foram isolados, pela tecnica de peneiras graduadas, e homogenizados por sonicacao. As atividades da catepsina B e dos ativadores do plasminogenio foram quantificadas por metodos fluorometricos, usando substratos especificos. Os ativadores do plasminogenio convertem o plasminogenio em plasmina, que e capaz de degradar uma serie de proteinas da matriz mesangial. Por sua vez, estas proteinas parcialmente degradadas sao endocitadas pela celula e catabolizadas pelas catepsinas. Os ensaios mostraram que o tratamento com enalapril aumentou significantemente a atividade do ativador do plasminogenio em relacao a grupo recebendo levodopa (l,6 vezes) e aos ratos sem tratamento (2,4 vezes). Nao ocorreu interacao sinergistica entre a@ drogas. A atividade dos ativadores do plasminogenio tambem apresentou tendencia a aumentar com uso de levodopa e a se correlacionar inversamente com a pressao arterial. Surpreendentemente as drogas nao alteraram a atividade da catepsina B. Estes achados implicam o aumento da atividade do sistema proteolitico dos ativadores do piasminogenio/plasmina na renoprotecao confedda pelos inibidores da enzima conversara da angiotensina na nefropatia diabetica e a possivel modulacao desta cascata enzimatica por fatores hemodinamicos
Assunto Diabetes Mellitus Experimental
Nefropatias Diabéticas
Ativadores de Plasminogênio
Catepsina B
Levodopa
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 65 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 65 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16780

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta