Mecanismos envolvidos no efeito antinociceptivo do 3-O-glicosil-dihidrocanderol, flavonoide extraido dos eizomas de Cochospermum regium(algodaozinho)

Mecanismos envolvidos no efeito antinociceptivo do 3-O-glicosil-dihidrocanderol, flavonoide extraido dos eizomas de Cochospermum regium(algodaozinho)

Título alternativo Mechanisms involved on the antinociceptive effects od 3-O-glycosil-dihydro-kaempferol, a flavonoid extracted from the rhyzomes of Cochlospermum regium (algodaozinho)
Autor Castro, Maria Salete de Abreu Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo l . A administracao por via oral (p.o.), intra-peritoneal (i.p.) ou intracerebroventriccular (i.cv.) do 3-O-giicosil-dihidrocanferol (F-52), flavonoide extraido dos rizomas de Cochfospermum regium (aigodaozinho), reduziu o numero de contorcoes abdominais induzidas pela injecao i.p. de acido acetico, proporcionalmente a dose utilizada. A Di5o por via i.p. foi cerca de 3 vezes menor que a D[50 por via oral. A D[50 da F-52 administrada por via intra-cerebroventricular (5 mg/sitio ou O,2 mg/kg, considerando-se um camundongo de 30 g) seria inefetiva se dada por via sistemica, indicando que sitios centrais estao envolvidos no mecanismo de acao da F-52. 2. A F-52 foi efetiva em ambas as fases da resposta a formalina. A DI5O para a dor neurogenica foi cerca de 5 vezes maior que a Dl5o para a dor inflamatoria (361 e 68,5 mg/kg, respectivamente), embora nao tenha alterado a latencia do reflexo de'tail-flick'. 3. Uma vez que a flavanona nao interferiu com o edema ou com a migracao celular induzidados pela carragenina, e improvavel que a F-52 atue como um corticoide ou que a inibicao da COX esteja envolvida em seu mecanismo de acao. 4. A F-52 nao alterou o tempo de permanencia ou o numero de quedas no teste do Rota-Rod, indicando que o 3-O-giicosil-dihidrocanferol nao interfere com a atividade motora. A F-52 nao determinou efeitos citotoxicos, avaliados pela medida da atividade da SDH em culturas primarias de macrofagos peritonneais. 5. A F-52 inibiu a atividade da acetilcolinesterase, sendo -3 vezes mais potente em inibir a enzima extraida de cerebro que a proveniente do musculo esqueletico de camundongo. 6. A antinocicepcao induzida pela F-52 (teste das contorcoes abdominais) nao foi alterada pela pirenzepina (i.cv.), afastando a possibilidade do efeito antinociceptivo da F-52 decorrer apenas da sua atividade anticolinesterasica. A dosagem plasmatica da F-52 mostrou que seriam necessarias concentracoes 10 vezes maiores que aquelas que causaram o efeito antinociceptivo maximo para que a inibicao da acetlcolinesterase fosse significativa. Assim, a atividade antinociceptiva da F-52 envolve mecanismos distintos da ativacao das vias descendentes inibitorias colinergicas, embora este componente possa participar das respostas observadas apos a administracao de doses altas do flavonoide. 7. efeito antinociceptivo da F-52 nao foi alterado pela administracao previa de L-arginina. A producao de nitritos por macrofagos...(au)
Assunto Plantas Medicinais
Dopamina
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 155 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 155 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16842

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta