Avaliacao do sistema de classificacao de risco em obstetricia de nesbitt & aubry (1969), a luz dos resultados referentes ao produto conceptual e maternos

Avaliacao do sistema de classificacao de risco em obstetricia de nesbitt & aubry (1969), a luz dos resultados referentes ao produto conceptual e maternos

Título alternativo Revision of the NESBITT & AUBRY risk classification system in obstetrics (1969), through the maternal and conceptual product results
Autor Sabino, Annibal Tagliaferri Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Durante o ano de 1998, 1074 pacientes internadas na enfermaria de Obstetricia da Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina, foram entrevistadas e submetidas ao questionario do sistema de classificacao de risco em Obstetricia proposto por NESBITT & AUBRY (l969). Em obediencia aos criterios desses autores, a distribuicao obedeceu a seguinte proporcionalidade: 308 de baixo risco (28,7 por cento); 295 de medio risco (27,5 por cento) e 471 de alto risco (43,9 por cento). Em cada um dos tres grupos encontrados, apuramos os resultados referentes ao produto conceptual, aos fatores matemos, a via de parturicao e ao desfecho das gestacoes. No que diz respeito aos resultados referentes ao concepto, estudamos: morbidade, natimortalidade e mortalidade neonatal intra-hospitalar. Avaliamos a morbidade e mortalidade materna intra-hospitalar em cada categoria de risco. Estudamos ainda o desfecho das gestacoes em abortamento ou gravidez ectopica. Nao houve diferenca estatisticamente significante entre os tres grupos de risco quando apuramos morbidade do concepto, natimortalidade, mortalidade neonatal, abortamento e gravidez ectopica. O grupo alto-risco foi responsavel por uma maior morbidade materna em relacao aos outros dois, mas com significancia estatistica limitrofe. Em relacao a via de parturicao, o alto-risco foi responsavel por incidencia maior de cesarianas e com resultado estatisticamente significante. Concluimos que o conceito de alto-risco deve fazer parte da evolucao historica do conhecimento obstetrico e que todo feto tem o direito de ser avaliado na sua vitalidade
Assunto Risco
Mães Substitutas
Obstetrícia
Avaliação
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 85 p. tabgraf.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 85 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16886

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta