Estresse oxidativo e capacidade funcional em idosos residentes na comunidade

Estresse oxidativo e capacidade funcional em idosos residentes na comunidade

Título alternativo Oxidative stress and functional capacity in elderly people living in the community
Autor Almada Filho, Clineu de Mello Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ramos, Luiz Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este trabalho enfatiza a participacao do estresse oxidativo sistemico no processo de envelhecimento e a sua relacao com a capacidade funcional de individuos idosos, residentes na comunidade. Foram estudados 90 pacientes com idade igual ou superior a 65 anos, selecionados a partir de uma sub-amostra do projeto EPIDOSO sob acompanhamento regular no Centro de Estudos do Envelhecimento da Universidade Federal de São Paulo, durante o periodo de 15101196 a 15101197. A populacao estudada foi discriminada em funcao do nivel de independencia para as atividades de vida diaria e da funcao cognitiva. Esses pacientes foram divididos em dois grupos: dependentes e independentes- portadores de deficit cognitivo e de boa cognicao; frageis e saudaveis. Foram submetidos a avaliacao clinica, inquerito nutricional para estimativa da inGestão diaria de vitaminas C, E e b-caroteno, alem de analise laboratorial para mensuracao das concentracoes plasmaticas dessas vitaminas, a fim de se estabelecer diferencas entre seus perfis. De um modo geral, trata-se de uma populacao com boa capacidade funcional, portadora de poucas incapacidades para as atividades de vida diaria e boa funcao cognitiva. A inGestão diaria estimada de vitaminas C, E, e b-caroteno, na populacao estudada, e bastante adequada devido a constante orientacao nutricional realizada nos ultimos quatro anos, que precederam a este estudo. Entretanto, as concentracoes plasmaticas dessas vitaminas antioxidantes sao baixas, nao refletindo sua inGestão e sugerindo possivel consumo das mesmas no processo de estresse oxidativo sistemico. Outros parametros estudados referentes ao perfil antioxidante desta populacao foram as atividades das enzimas eritrocitarias superoxido dismutase, catalase e glutationa peroxidase, alem da peroxidacao lipidica. Dentre as analises realizadas, nao se observa a caracterizacao de um perfil anti-oxidante que relacione o estresse oxidativo sistemico presente com a capacidade funcional destes individuos idosos. Os resultados deste estudo, de desenho transversal, sugerem a necessidade da realizacao de outras pesquisas, de carater longitudinal, para melhor esclarecimento a respeito da importancia do estresse oxidativo sistemico no processo de envelhecimento e o possivel efeito protetor das vitaminas antioxidantes na capacidade funcional dos idosos
Assunto Estresse oxidativo
Envelhecimento
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 96 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 96 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16899

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta