Efeito de um antimicrobiano na microbiota duodenal; e na evolução clínica de lactentes hospitalizados por diarréia aguda e persistente: um ensaio clínico duplo-cego randomizado

Efeito de um antimicrobiano na microbiota duodenal; e na evolução clínica de lactentes hospitalizados por diarréia aguda e persistente: um ensaio clínico duplo-cego randomizado

Título alternativo The effect of an antimicrobial drug on duodenal microflora and on the clinical outcome of infants with acute or persistente diarrhea: a randomized double-blind clinical assay
Autor Tahan, Soraia Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Morais, Mauro Batista de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo do estudo foi avaliar o efeito da polimixina oral na microbiota duodenal e na evolução clínica de lactentes hospitalizados com quadros graves de diarréia aguda e persistente. Este estudo duplo-cego randomizado, incluiu 25 lactentes menores de um ano de idade, hospitalizados com diarréia aguda e persistente. Os pacientes foram randomizados para receber o tratamento com polimixina oral (10mg/kg/d) ou placebo por sete dias. Ambos os grupos receberam a mesma dieta (semi-elementar). Culturas de aspirado duodenal, incluindo pesquisa de aeróbios e anaeróbíos, e cultura de fezes, foram realizadas antes e após sete dias do tratamento. Cinco pacientes foram excluídos durante o decorrer do estudo. Os percentuais de pacientes que apresentaram proliferação bacteriana no intestino delgado (PBID) no grupo polimixina foram, respectivamente, 61,5 por cento (8113) antes do tratamento e 76,9 por cento (lOll3) após o tratamento. No grupo controle, estes valores foram, respectivamente, 71,4 por cento (5/7) e 57,1 por cento(4/7), antes e após o tratamento. No grupo polimixina, a Escherichia coli enteropatogênica clássica (EPEC) foi encontrada em 57,1 por cento (7113) dos pacientes antes do tratamento e em O,O por cento após tratamento. No grupo controle EPEC foi isolada em 57,1 por cento (4/7) dos pacientes antes do tratamento e em 14,3 por cento (2/7) após o tratamento. A duração, em dias, da diarréia após o início do estudo foi de 4,0 ñ 1,9 no grupo polimixina e em 3,8 ñ 2,3 no grupo controle (p=O,88). A média de ganho ponderar no final do ensaio foi 371 ñ 267g. no grupo polimixina e 276 ñ 244g. para o grupo controle (p=O,441). Cura clínica, no 4' dia, foi observada em 30,7 por cento (4113) no grupo polimixina e em 42,8 por cento (3/7) no grupo controle (p=O,651). Conclui-se que a polimixina por via oral não teve efeito em reduzir a proliferação bacteriana no intestino delgado e na evolução clínica de lactentes hospitalizados com diarréia aguda e persistente grave.
Assunto Diarreia Infantil
Microbiologia
Intestino Delgado
Polimixinas
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Diarrhea, Infantile
Microbiology
Intestine, Small
Polymyxins
Randomized Controlled Trials as Topic
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 107 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 107 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16948

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta