Associação entre mosaicismo confinado a placenta e recém-nascidos pequenos para a idade gestacional

Associação entre mosaicismo confinado a placenta e recém-nascidos pequenos para a idade gestacional

Título alternativo Confined placental mosaicism in association with small newborns for gestacional age
Autor Belangero, Sintia Iole Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Farah, Leila Montenegro Silveira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O presente trabalho estudou tres grupos de recem-nascidos. Os individuos do primeiro grupo eram pequenos para a idade gestacional sem causa clinica que justificasse tal fato, os do segundo eram pequenos para a idade gestacional com causa aparente e o terceiro eram adequados para a idade gestacional. Para cada recem-nascido, foi colhido um fragmento da placenta, e sangue de cordao, no momento do parto. As celulas da placenta dos individuos dos tres grupos foram analisadas atraves de uma tecnica de citogenetica molecular (FISH) e o sangue de cordao foi analisado por citogenetica classica. As sondas cromossomicas utilizadas nesta primeira tecnica foram dos cromossomos mais frequentemente envolvidos em mosaicismo confinado a placenta: 16 (regiao heterocromatica), 7 (regiao centromerica) e 2 (regiao centromerica). Os resultados das amostras de sangue de cordao foram todos normais e compativeis com o sexo. Em relacao as amostras placentarias, o grupo de recem-nascidos pequenos para a idade gestacional sem causa aparente foi o que apresentou uma maior frequencia de aneuploidias cromossomicas, o que mostra que a relacao entre mosaicismo confinado a placenta e recem-nascidos pequenos para a idade gestacional e verdadeira. Atraves do tratamento estatistico (a media das alteracoes cromossomicas, no estroma do grupo de estudo, foi 36 por individuo enquanto a media do trofoblasto foi 24 por individuo) observamos que o tipo de mosaicismo confnado a placenta mais frequente em nossa amostra foi o tipo H (confinado ao estroma). Este valor e estatisticamente significante. O cromossomo mais frequentemente envolvido, nas celulas do estroma foi o 16, seguido do 2 e do 7, como relatado na literatura. Ja nas celulas do trofoblasto, o cromossomo mais frequentemente encontrado foi o 7, seguido dos cromossomos 16 e 2. Consideramos que estas conclusoes sejam uteis tanto para os geneticistas, como para os pediatras e obstetras no entendimento do retardo de crescimento, ja que o mesmo esta relacionado com urna alta taxa de morbidade e mortalidade dos recem-nascidos. Desta maneira, o atendimento as gestantes e seus filhos pode ser melhor e mais eficaz
Assunto Mosaicismo
Placenta
Recém-nascido
Retardo do crescimento fetal
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 95 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 95 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17040

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta