Utilizacao de recursos e custos diretos da esquizofrenia para o setor publico do estado de São Paulo

Utilizacao de recursos e custos diretos da esquizofrenia para o setor publico do estado de São Paulo

Título alternativo Utilization of resources and direct cost of scchizophrenia for the public sctor in the state of São Paulo
Autor Carvalho, Raquel Jales Leitao de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A esquizofrenia e um transtorno psicotico grave que atinge cerca de l por cento da populacao adulta e tem um curso prolongado em 60 por cento dos casos. Estima-se que seja a 261 dentre as doencas de maior impacto global por incapacitacao. Apesar de sua importancia, nao existem estimativas do custo desse transtorno no Brasil. Objetivos: Estimar o custo direto medico-hospitalar da esquizofrenia para o setor publico do Estado de São Paulo, no ano de 1998, caracterizando a distribuicao dos pacientes e a utilizacao de recursos nas diversas modalidades de tratamento. Casuistica e metodos: Utilizaram-se dados da literatura e de institutos governamentais de pesquisa para estimar o numero total de pacientes com esquizofrenia no Estado sob cobertura do Sistema unico de Saúde (SUS) e para construir uma arvore de decisao demonstrando a distribuicao desses pacientes quanto a forma de tratamento (hospitalar, ambulatorial ou ausencia de tratamento) no ano de 1998. Atraves de pesquisa em prontuarios (l3 de pacientes internados em um hospital psiquiatrico, 14 de uma enfermaria de psiquiatria de um hospital geral, 15 de pacientes moradores, 36 de pacientes de um ambulatorio de psiquiatria, 19 de pacientes de um CAPS e 23 de um hospital-dia), documentou-se a utilizacao de recursos por esses pacientes nas diversas modalidades de tratamento. Atribuiram-se, a esses recursos, valores em reais para se calcular o custo direto total medico-hospitalar da esquizofrenia no Estado de São Paulo. Tambem foram utilizadas planilhas de custo fornecidas pelos hospitais e servicos ambulatoriais estudados. Quando nao foi possivel encontrar dados na literatura sobre as probabilidades de determinados eventos, utilizou-se a tecnica de attribution rate, que consistiu em obter de um grupo de vinte psiquiatras, suas impressoes sobre questoes relevantes para o estudo. Resultados: Existem aproximadamente 177.000 pacientes com esquizofrenia no Estado de São Paulo. Cerca de 81,5 por cento (l44.400) estao sob cobertura do SUS e encontram-se assim distribuidos: 3,7 por cento estao em internacoes temporarias, 2,3 por cento estao em internacoes de carater permanente, 23 por cento estao em tratamento ambulatorial e 71 por cento estao sem tratamento regular. O custo direto total da esquizofrenia par? o setor publico, no Estado, no ano de 1998, foi de R$222 milhoes, sendo que 30,5 por cento correspondem a internacoes de carater permanente (moradores),...(au)
Assunto Esquizofrenia
Análise Custo-Benefício
Setor Público
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 142 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 142 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17118

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta