Validacao do processo de esterilizacao a vapor saturado sob pressao em hospitais do municipio de São Paulo

Validacao do processo de esterilizacao a vapor saturado sob pressao em hospitais do municipio de São Paulo

Título alternativo Validation of overkill steam sterilization cycles in hospital in the city of São Paulo
Autor Pinter, Marcia Galluci Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Trata-se de um estudo descritivo, transversal nao controlado, sobre a validacao do processo de esterilizacao a vapor saturado sob pressao. Foi realizado em 74 hospitais publicos e privados, de medio e grande porte. do Municipio de Sao Pau[o- Teve como objetivos conhecer o indice das instituicoes que validam o processo de esterilizacao a vapor saturado sob pressao; conhecer como se efetua este processo e propor um modelo de validacao. Os resultados encontrados revelam que a maioria das instituicoes pesquisadas possui central de material centralizada (91,9 por cento) e tem como profissional responsavel o enfermeiro (95,9 por cento). Autoclaves alto vacuo foram encontradas em cerca de 95 por cento da amostra, sendo 43,2 por cento com fonte propria geradora de vapor e 42 por cento com vapor gerado por caldeira central. Para manter a qualidade do vapor, 75 por cento possuem em seus equipamentos filtros de vapor, os demais nao possuem ou desconhecem sua presenca, inexistindo alternativas para a melhoria do vapor e preservacao da vida media do material que e esterilizado. A maior parte das instituicoes (75,7 por cento) possui padronizacao da montagem do cesto da autoclave. Como forma de identificacao, 98 por cento utiliza a data de esterilizacao e 89 por cento a de validade. Quanto aos indicadores, 96 por cento utilizam os biologicos, 47,3 por cento tambem os quimicos e 39 por cento dos equipamentos passam por avaliacao termica. Segundo a opiniao dos respondentes 25 por cento ou 19 instituicoes pesquisadas afirmaram validar o processo de esterilizacao a vapor. No entanto, ao se estabelecer criterios essenciais para este fim, observou-se que somente 9 delas o fazem com conhecimento e propriedade. As que responderam nao validar ou nao saber se o fazem (75 por cento ou 55 instituicoes) duas delas realizam sem saber que estao avaliando. Conclui-se para que haja seguranca no processo de esterilizacao desenvolvido ha necessidade constante de conhecimento do equipamento que esta sendo utilizado bem como do proprio processo, caso contrario, esforcos e recursos financeiros estarao disperses em uma epoca de economia hospitalar
Assunto Esterilização
Enfermagem de Centro Cirúrgico
Vapor
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 86 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 86 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17167

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta