Estudo das possiveis interseccoes das hipoteses fisiopatologicas da discinesia tardia por meio de novos modelos animais comportamentais

Estudo das possiveis interseccoes das hipoteses fisiopatologicas da discinesia tardia por meio de novos modelos animais comportamentais

Título alternativo Study of possible intersection of hypotesis physiopathological of tardive dyskinesia by new model behaviour animal
Autor Torres Leite, Danila Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Principal efeito colateral das drogas neurolepticas, a discinesia tardia tem se mostrado resistente aos diversos tratamentos farmacologicos ja utilizados para reverter sua sintomatologia. Paralelamente, diferentes hipoteses fisiopatologicas tem sido vinculadas a discinesia tardia, cada uma delas apresentando caracteristicas consistentes e inconsistentes com a doenca. Talvez parte dessas controversias resulte da possibilidade de que a discinesia tardia seja consequencia de interseccoes entre essas diferentes hipoteses. Foi nosso objetivo o estudo dessas possiveis interseccoes por meio de modelos animais comportamentais. Os resultados por nos obtidos demonstram que a administracao aguda de haloperidol em camundongos produz diminuicao dos movimentos orofaciais; durante a administracao prolongada os efeitos agudos sao tolerados e apos a privacao do tratamento prolongado ocorre a manifestacao exacerbada dos movimentos orofaciais. A privacao do tratamento prolongado revelou ainda o desenvolvimento de supersensibilidade dopaminergica comportamental verificada por meio do aumento do comportamento estereotipado induzido por agonistas dopaminergicos, a qual mostrou-se atenuada pelo agente antioxidante vitamina E. Nesse contexto, a plasticidade dos dopaminoceptores D1 parece estar especialmente relacionada a discinesia oral verificada em camundongos privados de haloperidol, uma vez que movimentos mandibulares sao induzidos pelo agonista D1 seletivo SKF38393, sendo potencializados nessa condicao tambem mostrou-se atenuada pela vitamina E. Verificamos tambem que a reserpina e capaz de promover discinesia oral em camundongos, bem como supersensibilidade dopaminergica comportamental revelada pelo aumento do comportamento estereotipado induzido pela apomorfina. A administracao concomitante de vitamina E foi capaz de atenuar significantemente os movimentos orofacias induzidos pela reserpina bem como a supersensibilidade especificamente vereficada para dopaminoceptores Dl. A analise conjunta dos resultados obtidos demonstra que o tratamento prolongado com vitamina E, embora inefetivo em modificar per se comportamentos eliciados por agonistas dopaminergicos, e capaz de atenuar as modificacoes plasticas destes comportamentos decorrentes do bloqueio prolongado, da estimulacao seletiva e repetida dos receptores dopaminergicos ou da deplecao dopaminergica...(au)
Assunto Discinesia Induzida por Medicamentos
Modelos Animais de Doenças
Camundongos
Dopamina
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 131 p. ilus.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 131 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17177

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta