Desempenho do compositive internacional diagnostic interview (CIDI/OMS)versão 2.1 em serviços de Saúde mental

Desempenho do compositive internacional diagnostic interview (CIDI/OMS)versão 2.1 em serviços de Saúde mental

Título alternativo Performance od compositive inetrnational diagnostic interview (CIDI/OMS) version 2.1 of mentalhealth services in Brazil
Autor Quintana, Maria Inês Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Miranda, Claudio Torres Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O Competisse Internacional Diagnostic Intervier 2.1 (CIDI 2.1) e um questionario padronizado que gera diagnosticos psiquiatricos de acordo com as definicoes e criterios da Classificacao Internacional de Doencas, CID 10, decima revisao (Organizacao Mundial da Saúde, 1992, 1993) e do Manual de Diagnostico e Estatistica de Transtornos Mentais, DSM IV, quarta revisao (Associacao Psiquiatrica Americana, 1994), composto por questoes que investigam sintomas psiquiatricos. Objetivo Este estudo tem como objetivo estudar a confiabilidade do CIDI 2.1 na clinica psiquiatrica. Metodo A traducao do CIDI 2.1 foi realizada utilizando o metodo de retro-traducao. Posteriormente, o questionario foi testado em um estudo piloto a fim de adequar termos e aprimorar a traducao; por ultimo as secoes foram entregues a especialistas para afericao das questoes. A confiabilidade foi estudada utilizando o metodo entrevistador-observador. A amostra foi composta por 186 individuos, selecionados a partir do diagnostico clinico fornecido pelo medico assistente, procedentes de hospital psiquiatrico, ambulatorio de especialidades psiquiatricas, comunidade e posto de Saúde. As entrevistas foram realizadas por duas equipes distintas; a primeira formada por 13 entrevistadores leigos (alunos de medicina), submetidos ao treinamento do CIDI, seguido de pratica em projeto piloto; a segunda equipe foi composta por 2 psicologas e uma assistente social, todos ja com pratica no uso do CIDI. Os resultados foram analisados utilizando a CID 10, avaliando: caracteristicas demograficas, duracao das entrevistas, erros de questoes individuais, confiabilidade geral e de diagnosticos isolados e questoes de primeira e ultima vez. Resultados A amostra estudada era composta por 54 por cento de mulheres; 62 por cento de solteiros, divorciados, separados ou viuvos; com idade media de 37 anos e com escolaridade media de 7 anos. A duracao media das entrevistas foi de 2 horas, reduzida para 50 minutos para individuos sem diagnostico psiquiatrico (SRQ -), aumentada tres horas e quarenta minutos para individuos com diagnostico de Transtorno Alimentar. As secoes que apresentaram o maior numero de erros foram as secoes E (Depressao), C (Somatizacao) e G (Esquizofrenia). As questoes com maior frequencia de erro foram: El2, E29, G2 e K22. Nao houve diferenca estatisticamente significante entre as duas equipes de entrevistadores (leigo e nao leigo)...(au)
Assunto Escalas de graduação psiquiátrica
Transtornos mentais/diagnóstico
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 220 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 220 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17201

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta