Avalaicao critica do programa nacional de combate ao cancer de colo uterino do ministerio da Saúde do Brasil

Avalaicao critica do programa nacional de combate ao cancer de colo uterino do ministerio da Saúde do Brasil

Título alternativo Critical evsluation of the program of uterine cervical cancer control- ministerio da Saúde do Brasil
Autor Roberto Netto, Alfredo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Segundo dados da Organizacao Mundial de Saúde (WHO Programe on Cancer Control, 1998) a partir de 2020 serao diagnosticados I milhoes de novos casos de cancer por ano. Cerca de 70 por cento deles ocorrerao e paises entre os quais apenas 5 por cento possuem recursos para controle da doenca. Alertam que dentro dos proximos 20 anos, caso medidas de prevencao e controle nao sejam adotadas , a incidencia de cancer aumentara em aproximadamente 1OO por cento. Poder-se-ia reduzir em torno de um quarto de todos os canceres, aplicando-se simplesmente o conhecimento cientifico que se possui, e curar a terca parte deles com a tecnologia atual. Estrategias preventivas poderiam, a baixo custo, reduzir substancialmente a incidencia mundial da doenca (WHO, 1998). Na populacao feminina, dos diferentes tipos de canceres, o cancer de colo de utero representa a segunda maior causa de mortes de mulheres no Brasil, correspondendo a 15 por cento de todos os tumores malignos. Para o ano de 1999, estimava-se o diagnostico de 20.650 novos casos, representando um coeficiente de 26,28 novos casos para cada 1OO.OOO mulheres (INCA Instituto Nacional do Cancer - Estimativas sobre Incidencia e Mortalidade por Cancer, 1999). No ano de 1998, o Ministerio da Saúde do Brasil, motivado pelos dados estatisticos, prospectivos e retrospectivos, instituiu o PROGRAMA ACIONAL DE COMBATE AO CANCER DE COLO UTERINO (PNCC), utilizando-se do exame citologico de Papanicolaou do esfregaco cervico-vaginal, como metodo de rastreamento da doenca. Estipulou para alteracoes celulares como ASCUS, AGUS, HPV e NIC I, conduta expectante, com controle citologico cervico-vaginal em seis meses. Para alteracoes NIC II e III, definidas como Lesoes de Alto Grau - LAG, o tratamento proposto foi o da Cirurgia de Alta Frequencia - CAF, quando possivel visualizar a lesao. Lesoes nao visiveis colposcopicamente e aquelas compativeis com neoplasias invasoras receberiam tratamento terciario. Priorizou mulheres com idade entre 35 e 49 anos e aquelas que nunca haviam sido examinadas. Em 120 dias, foram colhidos 3,263 milhoes de exames citologicos e, para tanto, inumeros laboratorios e profissionais de diferentes entidades foram agregados. Ainda que a citologia tenha sido de importancia fundamental no combate ao cancer do colo uterino nos paises da America do Norte, Reino Unido e Europa Ocidental, propiciando reducoes expressivas nos indices de incidencia e mortalidade , diferentes trabalhos demonstravam...(au)
Assunto Neoplasias do Colo do Útero
Ferimentos e Lesões
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 86 p. tab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 86 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17218

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta