Estudo das alterações promovidas pelo alcoolismo e pela hipertensão arterial sistêmica na epilepsia experimental induzida pela pilocarpina

Estudo das alterações promovidas pelo alcoolismo e pela hipertensão arterial sistêmica na epilepsia experimental induzida pela pilocarpina

Título alternativo Effects of arterial hypertension and alcohol administration and withdrawal on the frequency of spontaneous recurrent seizures, as well as the hippocampus neuropathological features in the pilocarpine model of epilepsy
Autor Scorza, Fulvio Alexandre Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Cavalheiro, Esper Abrão Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O modelo de epilepsia experimental induzido pela pilocarpina tem sido amplamente usado no estudo das epilepsias em virtude de sua semelhanca fisiopatologica com a epilepsia do lobo temporal. Esse tipo de sindrome epileptica acomete cerca de 40 por cento dos casos de epilepsia em humanos e e responsavel pelo surgimento de crises parciais complexas de dificil controle. O modelo da pilocarpina foi dividido em tres fases: periodo agudo, no qual os animais apresentam crises limbicas evoluindo para status epilepticus; periodo silencioso, com duracao de 4 a 44. dias, caracterizado pela ausencia de sinais comportamentais e eletrograficos de atividade epileptica; e periodo cronico, que se inicia com a primeira crise espontanea durando por toda vida do animal. Considerando que as epilepsias, o alcoolismo e a hipertensao arterial sao doencas cronicas com alta incidencia e prevalencia na populacao brasileira, o objetivo do presente estudo foi verificar a interacao entre estas patologias, observando a interferencia do alcoolismo e da hipertensao na frequencia das crises epilepticas espontaneas e recorrentes, bem como, na extensao das alteracoes histopatologicas hipocampais no modelo de epilepsia induzido pela pilocarpina. Para obtencao de animais epilepticos foi utilizado o modelo da pilocarpina. No desenvolvimento deste trabalho utilizou-se sempre a dose de 350 mg/kg para todos os animais, isto e, Wistar, WKY e SHR. Esta droga foi injetada intraperitonealmente e os seus efeitos foram observados e classificados segundo a metodologia descrita por TURSKI E COL. (l983a) Todos os animais injetados com pilocarpina, foram pre-tratados subcutaneamente com metil-escopolamina (l mg/kg), 30 minutos antes de injecao da pilocarpina. A administracao da metil-escopolamina tinha por finalidade atenuar os efeitos perifericos provocados pela injecao de pilocarpina. Para a analise comportamental, os animais sobreviventes ao status epilepticus foram observados por um sistema de monitoramento de video para deteccao da frequencia de crises epilepticas espontaneas e recorrentes. Esta observacao se processou diariamente por 24 horas no periodo de 30 dias
Assunto Epilepsia
Pilocarpina
Etanol
Hipertensão
Idioma Português
Data 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 139 p. ilusgraf.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 139 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17220

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta